travesti gostoza

Sexo com a Diarista Gostosa

Fala, meu nome é Rodrigo, tenho 33 anos e sou agrônomo, sou casado, porém minha mulher trampa em outra município, e apenas vem para casa nos fins de semana, por causa disso semanalmente uma diarista tragada Regina vai em minha casa realizar faxina, ela é bastante caprichosa, e embora de ter 41 anos é muito agradável e brincalhona, e inclusive tendo um filho de 9 anos também possui um belo corpo, com uma assento durinha e peitos pequenos, porém o que mais chama atenção lhe é seu modo safado de abordar e comportar-se, constantemente usando um shortinho limitado e uma blusinha que anteolhos somente os seios, no início ia com a sua mãe, que similarmente é diarista, porém como a mãe arrumou um emprego aferrado, ela passou a ir sozinha, bem, após um tempo ficamos colegas e ele contou que seu companheiro ficou absoluto em razão de toxoplasmose e que por ter um dificuldade de fechamento de uma artéria aparecia sofrendo de dores de cabeça e foi ilícito de realizar força físico, sem quantidade nem sequer inclusive fazer sexo. Estávamos conversando sobre isto em um dia no qual eu não fui trabalhar e ela aparecia lá em casa fazendo faxina, estávamos na cozinha, e ela aparecia com seu shortinho que faz com que ela fique com um barrete de fusca e permite analisar sua calcinha enfiada na sua assento, e enquanto ela me falava que já aparecia há 3 meses sem quantidade fazer sexo me contou que aparecia tendo bastante dificuldade cobiçoso, uma vez que tudo aparecia bastante caro, e as indivíduos estavam começando a acabar de contratá-la para diminuir gastos, eu aparecia apenas de bermudinha em casa, havia abatido de tomar um bom banho e ela virou pra mim e disse, meio que em acento de brincadeira, acho que vou iniciar a realizar programa escondida, uma vez que dessa maneira acabo matando meu atração e resolvendo meu dificuldade de dinheiro, ela disse isto e riu, porém na momento isto me deixou excitado, de análogo maneira que meu pau tirou um volume sob a bermuda, como aparecia ao lado dela eu coloquei a mão em seu alteamento e perguntei se ela tava pensando de fato grave nessa coisa, ela colocou a mão em minha cerca e disse que tinha momento que tinha desejo inclusive, porém o dificuldade é que teria que permitir pra um acervo de gente feia, que os caras que iam desejar ela não iam ser novinhos e bonitos iguais a mim, no momento em que ela disse isto eu segurei a mão dela tomei afoiteza e falei, -você que pensa, olha como que eu fiquei apenas de escutar você falando isto! Por isso coloquei a mão dela sobre meu pau, por cima da bermuda, ela olhou pra mim com cara de assustada e de safada e disse, -nossa Rodrigo, você teria inclusive afoiteza, inclusive com uma mulher bonita aproximado a sua? Porém enquanto ela falava deixou a mão em meu pau, eu por isso tirei ele pra fora da bermuda e coloquei sua mão nele e falei que se ela quisesse, eu comeria ela agora, ela começou a me masturbar em pé, abordado no balcão da cozinha, e disse que não sabia se devia realizar isto, que tinha ciúme e coisas dessa maneira, porém sem acabar de abrandar meu pau, da cabeça até o saco, eu virei ela de costas e encostei meu pau na sua assento e comecei a me arear na sua bundinha, enquanto ela continuava a me punhetar devagarinho, com minha outra mão comecei a acariciar sua boceta por cima da bermuda, ela afastou a bermuda pra que eu enfiasse a mão na sua boceta, e quanto pus meus dedos na sua boceta senti todo aquele melado, ela aparecia louca de desejo de permitir, por isso pus ela sentada na cátedra da alimentação e comecei a arear meu pau na sua cara, passando em seus lábios, ela ficou sentindo o cheiro de meu pau e por isso começou a abocanhá-lo, segurando em meu saco e empurando meu corpo de abalroamento a sua boca, sugou com desejo por alguns minutos, até que não mais agüentei e levei ela a favor sová, arranquei somente seu shorte e sua calcinha e empinei bem aquela bundinha pra mim, acariciei um tanto mais aquela atraente bocetinha e enfiei meu pau lhe com desejo, meu pau deslizou com facilidade, e ela aparecia tão lubrificada que tive dificuldades pra achincalhar, eu ia metendo na sua boceta e batendo na sua assento, e ela gemia e dizia:-isso, mete na mamãe, come a mamãe come seu bom!, Enquanto ela gemia ela rebolava aquela assento gostosa e após uns 15 minutos de um vai e vem frenético acabei gozando na sua bundinha….em seguida disso ela tomou um banho e voltou a realizar o serviço, eu similarmente tomei um banho eu fui a favor computador, no momento em que ela terminou eu paguei o dobre da preço comum da faxina, ela olhou pra mim e agradeceu, e não disse mais nada, pedi que ela passasse a vir duas vezes por semana, já que minha mulher apenas está em casa nos fins de semana, ela agradeceu e disse que ia se empenhar pra eu não me arrepender. E essa foi a primeira vez que eu a fodi, porém a história não acaba aí, esse é somente o início. Espero que tenham gostado.

Sexo com a Coroa Tatuada

Recentemente, conheci uma mulher muito linda que reside nos arredores do bairro. A primeira vez em que a vi, foi em uma manhã de segunda-feira, quando praticava minha habitual caminhada por uma praça que fica bem próximo da minha casa. Ela estava passeando com seu cachorrinho de estimação, o que, em princípio, me pareceu um hábito regular por parte dela. Fiquei observando-a enquanto caminhava e registrando sua beleza incomum: era uma mulher entre cinquenta e sessenta anos, porém nada denunciava esse fato. Tinha os cabelos médios ondulados com uma mecha lateral que a deixava ainda mais bonita. Seus olhos negros tinham um brilho incomum, diria, especial, e seus lábios finos eram realçados pelo batom de um vermelho discreto.

Castigos de uma escrava rebelde

Sou uma bela jovem de 21 anos, cabelos longos pretos e lisos até a cintura, um corpo escultural com um bumbum de dar inveja, conheci meu dono em um chat, por conincidência ele mora numa cidade que é ao lado da minha, conheci a aproximadamente uns 4 meses, nesse tempo conversamos sobre sado e trocamos experiências mas tudo não passava do telefone, tivemos apenas um encontro onde pude conhece-lo pessoalmente pois até então só ele me conhecia por fotos e cam, nesse encontro tudo ocorreu mais ou menos naturalmente, levei uns belos tapas na cara por algumas desobediencias e uns puxões de cabelo mas não passou muito além disso. Meu dono é bastante experiente com 28 anos, tinha e tenho até hoje medo dele por isso nunca marcava um novo encontro mesmo com muita vontade e tesão de vê-lo. Um belo dia ele não suportou mais minhas desculpas de não encontrá-lo e marcou nosso segundo encontro, me mandou torpedos dizendo o local e a hora que me encontraria, confesso que aquilo me deixou bastante exitada e minha bucetinha já começou a molhar a partir daquele momento. As 22:00 hrs ele estava lá, eu cheguei as 22:01 ele olhou para o relógio não gostando nada do atraso. Meu senhor ligou o carro sem dizer nada e foi andando até que parou em um bairro bem deserto, ficamos lá por algum tempo, ele mandou que eu ficasse com a cabeça baixa grande parte do tempo e eu o fiz como uma verdadeira cadela, meu dono acariciava meu corpo com força, até que com um puxão tirou meus seios para fora da blusa, ele já estava com os biquinhos saltando, na hora me assustei e levantei a cabeça, foi aí que senti o peso da mão no meu senhor batendo em meu rosto com vontade, ele assim fez por várias vezes, sentia meu rosto esquentando e ficando vermelho ( pois sou bem branquinha) e com isso sentia o ar de alegria do meu dono, as vezes eu tentava me esquivar mas ele puxava meus cabelos fazendo minha cabeça ficar arqueada para trás, mal podia movimentá-la. Meu dono não teve pena me batia e dizia que era por todas as desobediencias que eu havia feito a ele, disse que a partir daquele momento eu iria respeitá-lo, foi aí que abriu sua calça e tirou seu pau, fiquei com mais tesão ainda, é grande com uns 20cm e grosso, ideal para uma cadela desobediente como eu, me puxando ainda pelos cabelos me fez cair de boca nele, me fazia chupar, segurava minha cabeça e o enfiava até minha garganta me sufocando, saiam lágrimas dos meus olhos, nunca tinham feito aquilo comigo, me senti indefesa, a mercê das vontades dele e o fez até gozar na minha boca mas não consegui engolir tudo, ele então esfregou seu gozo no meu rosto… Meu senhor ficou nervoso com isso e mandou que eu ficasse novamente de cabeça baixa, tirasse minha calcinha e a entregasse, obedeci prontamente pois sabia que iria apanhar ainda mais se desobedecesse, eu estava pingando de tesão. Ele mandou que eu abrisse as pernas e então passou sua mão na minha bucetinha, e me deu um dos tapas mas fortes que pude sentir nela, ele havia mandado eu depilar totalmente mas na pressa de ir encontra-lo esqueci e depilei normalmente, por isso apanhei na bucetinha, ele passava seus dedos na minha bucetinha e os enfiava na minha boca, me fazia engasgar quando enfiava com brutalidade quase chegando na minha garganta e foi assim por várias vezes… O clima foi esquentando cada vez mais e meu dono não se deu por satisfeito apenas com o tapa que havia dado na minha bucetinha, ele então pegou vários prendedores e colocou um em cada lado da minha bucetinha e outro no grelinho, ele puxava e brincava com eles me fazendo urar de dor, eu me mexia muito, foi aí que meu dono me amarrou com os braços para trás, começou a me lembrar das desobediencias que eu havia feito em todo esse tempo e batia muito nos meus seios, dava vários tapas, um atrás do outro e a sua força aumentava a cada um deles, doia muito, ardia, era uma mistura de dor e tesão, muito tesão, ele os chupava, mordia os bicos com força, depois de surrá-los bastante colocou um prendedor neles e deixou por algum tempo alí e eu sentindo eles lateijando, pedindo clemencia… Meu dono fingia não ouvir e mandou que eu implorasse para ir ao motel, eu implorei mas depois voltei atras pois estava com medo, meu senhor me botou de 4 no banco do carro e enfiou com força seu pau na minha bucetinha, dava estocadas fortes enquando brincava com sua mão no meu cuzinho, eu estava com medo e me esquivei dele, meu dono ficou nervoso como nunca o vi antes, me amarrou de barriga para baixo na cadeira do carro deixando meu bumbum a mostra, com uma mão dava tapas fortes na minha bunda e com a outra retirava seu cinto, o dobrou ao meio e me fez beija-lo pedindo pra apanhar, assim o fiz como uma verdadeira puta e antes que desse tempo deu pedir desculpas pelas desobediencias ele começou e estalar o cinto de couro na minha bunda, o cinto batia e eu sentia queimar, arder, a cada cintada ficavam alí o meu bumbum as marcas da minha desobediencia e na minha buceta escorria meu tesão e eu amarrada alí naquela posição indefesa sem ao menos poder me mexer, quando ele parou de surrar minha bunda com o cinto pensei que por alí iria acabar, mas engano meu, ele pegou um chinelo e continuou a surra, ardia e doia ainda mais pois ela já estava bastante machucada pelas cintadas estava vermelha e lateijando de dor, já não aguentava mais, implorei para que meu doono parasse, implorei seu perdão… Nem sei o quanto apanhei, só sei que foi muito, e hoje ví que aprendi a respeitar meu dono, a ser sua cadela, sua puta e realizar suas vontades e desejos como ele quizer, meus seios estão marcados e só de encostar na blusa incomoda, e meu bumbum está com as marcas das cintadas, está roxa, ichada no local do cinto, estou sentada só para escrever esse relato para que todos vcs saibam que apanhai que fui castigada como uma puta pelas minhas desobediencias que são muitas meu bumbum está doendo muito. Nosso próximo encontro será no final da semana e relatarei tudo novamente para vocês, sei que serei castigada novamente pois hoje pela manha o desobedeci, ao invés de ligar para meu senhor estava aqui escrevendo este conto.

Esposa Mal comida

Meu nome é Reginaldo 35 anos, sou casado com uma Morena linda chamada Dayse, tem 28. Coxa grossa e um bumbum gigante. Bundão grande mesmo.

Meu namorado deixou eu dei gostoso

Era uma sexta feira a tarde quando eu estava chegando da academia e o encontrei no portão falando com meu namorado, eles avião chegado do jogo de futebol, ele é um homem alto, loiro, de corpo sarado e bronzeado.

Meu primeiro anal gay

Oi, me chamo Flávio(nome fictício)moreno a história/conto que vou contar é verídica.Tudo começou quando eu tinha meus 17 anos 1m55 59kg, e meu irmão de criação 15, 1m65, 61kg, estávamos no quarto do nosso pai com meu irmão José(nome fictício), ele de uma hora pra outra começou a passar a mão no meu pênis por de baixo do lençol a princípio fiquei meio assim com medo mais deixei a coisa rolar o clima estava esquentando aí ele me chamou pro nosso quarto, fui e chegando lá as carícias ficaram mais intensas ele pegava no meu pau e eu na bunda dele, tiramos a roupa e começamos a se tocar, ele ficou de quatro pra eu meter nele só que por meu pênis ser muito grande e grosso não penetrava de jeito nenhum acabou sangrando o cuzinho dele, desistir. Ele pediu pra meter em mim o pau dele era médio e um pouco grosso fiquei com medo de doer, mais eu deixei! Fui lavar o cuzinho pra deixar bem cheiroso pra ele, ele começou a chupar minhas bolas e meu cu sendo q eu estava de quatro pra ele todo aberto estava gostando muito, tava a ponto de gosar sem nem pegar no pau. Ele parou um pouco meu cuzinho já estava lubrificado só esperando a rola

Amor de primo não acaba nunca

Olá. Vou contar algo que aconteceu comigo durante anos. Vou usar nomes fictícios já que estamos falando de duas pessoas casadas. Meu nome é Maria Clara, sou ruiva, alta, não sirvo pra magra, mas adoro exercícios físicos. O João é alto, moreno claro e rato de academia, co. Os braços tatuados. Nossa história deve ter iniciado na maternidade. Somos primos de segundo grau, com alguns meses de diferença. Desde que éramos adolescentes, existia uma química absurda entre nós, mas doi somente quando começamos a estudar juntos que a coisa aconteceu. À época, tínhamos 18 anos e eu já namorava. João começou a insinuar que nutria um sentimento por mim. Eu, comprometida, achava que ele estava brincando e nunca dei muita bola pras indiretas dele. Ele ficou insistindo por UM ANO E MEIO. Diz ele que eu entrei pro

Eu comi a mulher do meu melhor amigo

Não sei como vim acabar nesse site, porém a partir de por isso estou abastardado nesses contos, este é meu primeiro bico, espero ter afoiteza de abordar de vários mais que aconteceram comigo, vejo vários e sei que alguns são reais e outro não… porém este é 100(ORIGINAL)|100 (CEM)|CEM}% atualidade, no mínimo o que a VODKA me deixou pra lembrar… kkkkkk

Arrombando o cu da cunhada

Primeiramente, gostaria de agradecer a quantidade e-mail enviadas por leitores elogiando meus contos, fazendo perguntas ou até mesmo enviando fotos de suas aventuras (não publicarei os nomes aqui por respeitar o pedido de sigilo). Muito obrigado!

Primeira vez com travesti

Sou Fábio, um jovem de 28 anos, branco, tipo físico normal, nada de exagerado. Sempre tive fetiches por travestis, mas até então nunca tinha tido coragem de nada. Um dia, vendo vídeos na internet, fiquei com mais vontade de experimentar do que o de costume, decidi dar uma volta de carro em um ponto de travestis que conhecia na cidade.

Amigo da escola fodendo a minha namorada

Ola pra quem chaga o que estou escrevendo e muito real nesse ano de 2018 vou ser bem breve obs..nao leve amigos pra sua casa …. no inicio deste ano a Universidade ainda em férias eu i meu amigão heitor jogávamos xbox one on line nos sábados e domingos quando o levava pra minha casa . Mas ele nao gostava muito ele dizia mano eu tenho que arrumar uma namorada como vc ai eu disse nada mano isso passa .dai entra em cena a leiva resumindo branca bunduda daquelas que tem ate celulites mas como ela e nova chama muita atenção …voltando o assunto ela ouviu o heitor dizer e respondeu

Cunhada carente foda muito quente

Quem nunca fantasiou comer a cunhadinha? Sempre tive desejo na minha e em um belo dia aconteceu o que achava impossível, enrabei a minha.

Comendo a marcilene casada

Olá me chamo deco tenho 32 e vou contar outras de minhas lindas aventuras sexuais,estava numa festa com minha namorada num cantinho bem aconchegante e logo os amigos vieram me comprometendo e Carlos era um grande amigo meu de longa data,me apresentou sua esposa marcilene e logo vi que era linda e gostosa,Me deu uma encarada de safada e disse,ele fala muito de Vc rsrsrs,daí minha namorada pediu PR levá-la em cada pois não estava bem,e avisei a Carlos que retornaria,voltei e ficamos conversando e sua esposa não parava de me olhar nos olhos Carlos foi ao banheiro e ficamos só nos dois e ela me disse,olha Carlos falou tudo de vc PR mim,que vc é safado é gosta de trair sua esposa,Logo percebi o que a safada tava querendo e depois fui direto,por que está dizendo isso?ela disse que tinha muita vontade de me conhecer melhor,daí marcamos PR o dia seguinte,a safada já estava no lugar direitinho,entrei no seu carro,e logo fiquei cabreiro com o endereço,Se tratava de sua casa,e falei,Ou vc é louca?aq não poxa,ela pegou na minha mão e puxou PR casa e logo na sala me deparei com uma cena louca,Carlos todo amarrado no sofá,fiquei assustado,mais ele disse vc não cantou minha mulher?agora faça seu papel de safado,daí a gostosa ficou peladinha na minha frente e disse o corno vai ver a mulher dele sendo errabada por seu amigo,só tem cu PR vc a buceta e do meu marido tá?ok tirei minha roupa e logo a conversa mudou de rumo quando viu o tamanho da caceta,nossa vou dar meu não,seu pau e grande e grosso,mamou segurando com as duas mãos e dizia que rola gostosa😏,Carlos olhava e dizia vc não vai machucar minha bebezinha não

COMI MINHA DENTISTA, NO CONSULTÓRIO – Parte I

Quebrei uma restauração de um dente, minha esposa me deu o nome de uma dentista, esta trabalha numa clínica na Tijuca, Rio.

Meu corninho e seu amigo me comeram bebada

Oi, meu nome é Fernanda, casada 29 anos, morena clara, cabelos pretos longos, tenho seios medios e bumbum grande. Tenho 1,61 e 60kg.

Sexo delicioso com um homem mais velho

Noite quente, enluarada resolvi sair um pouco para caminhar. Moro em uma cidade pequena, uns 15 mil habitantes, índice de violência baixo, um lugar onde nada de mal poderia me acontecer. Por um momento sorri ao pensar que seria muita sorte encontrar um tarado naquela noite.

Sexo apaixonado com meu amor

Olá , meu nome é Janis e namoro há quase um ano.Esse é meu primeiro conto , então peco que deem um desconto hahaha. Há um tempo venho cogitado a escrever contos eróticos , já que , apesar de ter iniciado minha vida sexual há pouco tempo , já tenho algumas histórias… Eu e meu namorado nos damos muito bem , e nossa vida sexual é muito ativa. Somos uma mistura de safadeza e romantismo . Um dia desses , estávamos na minha casa bebendo e dando uns beijinhos , como meu namorado se excita muito fácil , logo ficou duro… eu , como sou bem safada , fiquei toda animada e sugeri que fôssemos pra casa dele ,já que não podemos transar na minha casa porque moro com meus pais. Demos mais uns beijos bem quentes e fomos esperar o ônibus. Dentro do ônibus, eu comecei a beijá-lo pelo rosto , pescoço e dando uns selinhos de leve… ele logo ficou mais excitado ainda . Vendo que o pau dele tinha ficado duro , tirei pra fora da bermuda e comecei a punheta-lo alí mesmo (Meu amor adora quando o chupo ou toco uma punheta pra

Comendo a boceta da vizinha coroa

Sou Leitor assíduo dos contos eróticos, só que tem muitas histórias narradas como verídicas, que na verdade, é fruto da imaginação nada fértil de Alguns leitores, a história que passarei a narrar, aconteceu comigo há exatamente 21 anos atrás, na época eu tinha 16/17 anos, eu moro em uma cidadezinha do interior da Bahia, nessa época eu trabalhava das 08:00 às 13:00, era um maníaco sexual, coisa normal na idade de um garotão saudável, o fato interessante para vocês, era que nos fundos da casa de meus pais Morava uma senhora, Dª Maria Antonia, era Uma Mulher Negra, bem robusta, os seios bem farto uma bunda enorme, não era muito barriguda, era

Festa Junina da Escola

Me chamo Daniela, mas onde moro só me conhecem por Dani. Tenho 19 anos, 1,62 com peso proporcional a altura, pele morena, cabelos loiros e um corpo bem atrativo, pelo menos para quem me viu. Gosto muito da praia, por isso tenho marcas de bronzeado e isso colabora para que me achem atraente.

A Babá do meu irmão

Mamãe e papai sempre viajam nos fins de semana, me deixando com o meu irmão mais novo na maioria das vezes. Conversei com meus pais e disse-lhes que no fim de semana eu teria um compromisso muito importante (uma festa na casa da minha amiga, mas eles não precisariam saber). Minha mãe sugeriu que meu pai chamasse uma babá pra cuidar do Thomas (meu irmão de 5 meses), eu adorei a ideia e apoie muito minha mãe. Meu pai disse que não perderia tempo procurando e deixou essa função nas minhas costas. No Sábado de manhã, liguei pra uma agência, sugeriram uma senhora chamada Vânia que cobrava bem pouco, acatei na hora. Informei meus pai que tiveram um pouco de receio já que

Me masturbei pensando nele

Estava eu em casa num dia frio assistindo tv e mexendo no celular Quando passei pelo perfil do face dele quando me bateu um desejo me lembrando de cada detalhe vivido com ele na hora do sexo

Foda com o meu Ex Vizinho

Eu conheci um carinha (1.80cm, moreno claro, gato) em 2016 num aplicativo gay, ele tava na redondeza do meu prédio e acabamos trocando Whatsapp, porém só ficávamos de marcar e nada…

Ela desejando outro

Prazer, sou Luan, 28 anos, alto, corpo atlético, namoro a Letícia 25 anos, uma linda mulher. Cabelos pretos, longos, branca, corpo de dar inveja a muitas mulheres. A Letícia, trabalha num hospital em nossa cidade (interior da Bahia ) como auxiliar de enfermagem, sempre gostou de atuar na área da saúde, uma paixão dela. Estamos juntos há 8 anos, Letícia sempre foi de família exemplar, recatada e sempre respeitou nosso namoro.

Trepei com um velho no hotel

Estava na piscina de um hotel, era durante a semana e não havia quase ninguém hospedado. Me deitei de bruços para bronzear e soltei a parte de cima do biquíni porque não gosto de marquinhas.

Não consigo pensar sem ficar molhada.

Então, por onde começar?