professora sem calcinha

A professora que dava para seus alunos

Bem amigo, o que vou contar a vocês realmente aconteceu comigo há quase dois anos, mas só agora tenho coragem de contar para todo mundo.

Fodendo a Professora de Inglês safadinha

Meu nome é Eline. Sou loira, 1,64m, peso 56kgs., tenho um bumbum bem grande e uma cinturinha fina… Trabalho como professora de inglês em um curso na Região Serrana do Rio de Janeiro. Em uma das minhas turmas de conversação tem um aluno muito charmoso, vamos chamá-lo de Gustavo… Ele é bonito, sexy e muito simpático.

A Professora e o clube dos sádicos

Foi um longo dia para Danilo e seu pequeno grupo de conspiradores. Hoje era o dia. Danilo e seu amigo Breno, sua namorada Brenda e a irmã dela, Lena, tinham planejado agir há muito tempo. Desde que a professora Srta. Betina chegou no início do ano letivo à faculdade, com todo seu charme e beleza. Todos os quatro a tinham cobiçado desde o primeiro dia de aula. Breno e Danilo estavam discutindo o que gostariam de fazer com a bela professorinha, quando as meninas entram na conversa, com algumas idéias e todos fantasiavam mil maneiras de se excitarem, quando tiverem a professora dominada por eles.

Transando com a Professora de Matemática da Época do Colegial

Bom, o que irei relatar aconteceu a alguns meses, mais precisamente em setembro e outubro desse Ano.

Professora da faculdade

Antes de contar como tive a melhor transa da minha vida, gostaria de me apresentar. Sou estudante de fisioterapia, tenho 19 anos, cabelos pretos, barba e corpo atlético. Estou no 3° ano de fisioterapia e como de rotina neste semestre, todas as terças tinha aula de massoterapia aplicada. Certa vez em uma aula fomos comunicados de que nossa professora teria entrado de licença e que teríamos aula até o fim do semestre com outra pessoa. Me lembro como se fosse hoje. Eu estava mexendo no celular quando entra pela porta aquela mulher sensacional. Era baixa, cabelos longos lisos e pretos, corpo escultural e uma bunda que tirava a atenção de todos. Tinha um rosto fino, usava um óculos que a deixava ainda mais gata, olhos castanhos claros e uma boca muito sensual. Me lembro de me arrepiar todo quando ela entrou na sala. Assim que terminou a aula teórica, começamos a aula prática em uma sala com várias macas. Neste dia, minha dupla tinha faltado, e ela me disse que iria me auxiliar nesta aula para não ficar sem dupla. Logo ela falou para eu me deitar de costas na maca e tirar a camiseta, para que ela pudesse demonstrar as técnicas da aula. Assim que ela tocou meus ombros, senti um arrepio que meus músculos da panturrilha se contraíram. Ela olhou pra mim e deu risada. Como aquele sorriso era lindo. Ao fim da aula conversamos um pouco e ela me disse que tinha 28 anos e estava acabando sua pós, e que andava muito estressada. Logo me ofereci para fazer uma massagem em seus ombros e ela com muito receio aceitou. Continuamos conversando após a massagem e nos despedimos. Cerca de 2 ou 3 semanas depois a encontrei em um barzinho perto da faculdade bebendo uma ice sozinha em pleno domingo a noite. Fui cumprimentá-la e ela me convidou para me sentar. Bebemos algumas curtas e conversamos muito. Ela me contou sobre uma decepção amorosa com o único homem com quem ela já tinha se relacionado e continuamos bebendo. Quando nos demos conta, eram 2h da manhã, estavamos bêbados e dávamos risada como quem se conhecesse há anos. Quando acabamos a última dose, ela disse que tinha que ir embora pois teria que revisar seu TCC no dia seguinte. Logo me ofereci para levá-la até a porta da casa dela que era há uns 15 minutos da faculdade. Fomos andando e quando cheguei na porta dela, pedi um copo de água pois ainda estava bêbado. Ela me disse para entrar e esperar na sala. Então veio ela com um copo de água e um shorts tipo aqueles pijama com uma blusa de manga cumprida. Era como se eu olhasse para a pessoa mais bela do mundo. Ao me despedir, ela me deu um leve abraço e me agradeceu pela conversa. Disse para eu não faltar as aulas e tentar não beber durante a semana. Quando ela foi me dar um beijo no rosto, simplesmente travamos um na frente do outro. Na hora me deu um frio na barriga pois no fundo, já sabia o que eu precisava fazer, só não sabia o que aconteceria depois. Logo coloquei a mão na cintura dela e comecei a beijar sua boca lentamente. A primeira reação dela foi um pequeno susto, mas logo ela cedeu e continuou me beijando. Nesse momento senti um tesao inexplicável, e não teve como disfarçar meu pau duro. Fiquei envergonhado, mas logo ela me beijou novamente e foi me puxando para os fundos. Quando vi estávamos no quarto dela. Tirei sua blusa e joguei ela na cama e, enquanto a beijava, minha mão já segurava seus peitos macios por cima do sutiã. Ela me disse toda tímida para eu tirar a blusa, enquanto ela tirava o sutiã. Seus peitos eram perfeitos. Encaixavam perfeitamente na minha mão sem sobrar nem faltar, do jeito que eu mais gosto. Logo comecei a beijar seu pescoço e fui descendo para seus peitos. Passei a língua no peito dela e ela já delirava de tanto tesao. Nessa hora, já estávamos excitados o bastante entao tirei seu shorts e tirei o meu também. Ela de lingerie preta deitada na cama me olhando com tesao só aumentou minha vontade. Peguei a blusa dela que estava jogada na cama e cobri seus olhos, pedindo para que confiasse em mim e apenas ficasse relaxada. Tirei sua calcinha e comecei a chupar a buceta dela. Era lisinha e estava molhadinha. Passava a língua em seu clitóris e ela dava gemidos tão excitantes que me faziam ficar louco. Após uns 15 minutos de oral nela, tirei minha cueca e passei meu pau na sua bucetinha que já estava muito molhada. Na primeira metida, ela já me chamou de cachorro. Logo saquei que ela gostava de algo mais “adulto”. Comecei a meter nela cada vez mais forte e ela não parava de pedir mais. Então resolvi colocar ela de 4. Ela empinava a bunda de um jeito tão perfeito que tornava tudo tão mais fácil. Então puxei seu cabelo enquanto metia forte. Estava com tanto tesao e metendo tão forte que ela pedia para não parar que ela ia gozar. Ela olhou levemente para trás e me disse: me bate. Aquilo só serviu para aumentar mais ainda o tesao. Dei um tapa na bunda dela enquanto meu pau ia até o fundo da buceta e as pernas dela começaram a tremer bem suavemente. Ela me falava: não para!! Eu tô gozando!! Enquanto gemia com voz de safada. Ela pediu para sentar e eu logo me deitei na cama. Ela sentou por cima virada de costas pra mim. Sua bunda era perfeita, ela sentava muito bem. Ela louquinha de tesao me pedia para eu chamar ela de minha putinha. Chegou um momento que as pernas dela bambeavam e então ela pediu: goza na minha boca. Começou a me chupar de uma forma que nunca nenhuma outra fez. Ela era uma ninfa completa. Trepava muito. Passava a língua pelo meu pau todo pedindo leite. De repente ela virou para mim e me disse: vou te dar a melhor gozada da sua vida. Então ela fez um garganta profunda e ao mesmo tempo por dentro passava o fundo da língua dela na cabeça do meu pau. Aquilo foi sensacional, nem sabia que era possível alguém fazer aquilo. Gozei muito na boca dela, e ela sempre me olhando com cara de safada. Acabamos a transa e ficamos uns 15 minutos deitados juntos, apenas olhando um para o outro com cara de satisfeito enquanto nossos corpos estavam juntinhos. Quando me dei conta era 03:30 da manhã e disse que tinha que ir embora. O sentimento que ficou aquele dia era de que eu poderia passar a eternidade com ela me olhando daquele jeito e sorrindo pra mim. Que merda, estava me apaixonando por aquela mulher sedutora. Se passaram 2 meses e desde então saímos algumas vezes mas com a correria não transamos de novo, apesar de ela sugerir de vez em quando que eu vá na casa dela. Bom, amanhã irei encontrá-la a noite após a prova do Enem na faculdade para fazermos algo. Já estou ansioso!!!

Eu fodendo a minha professora

Durante o segundo ano do ensino médio tive uma professora que marcaria minha vida para sempre. Julie (nome fictício) deveria ter por volta de seus vinte e poucos anos, ela não era do tipo de mulher que pararia o trânsito ao passar, eu mesmo não a achava nada demais. Ela por volta de um metro e sessenta, seus seios eram de um tamanho médio, sua bunda era razoável, um pouco gradinha. Mas as roupas que ela usava não ajudavam em nada. Parecia que ela pegava a primeira coisa que encontrava no guarda roupas pra usar e nada era sexy, só destacavam as imperfeições de seu corpo, como a barriguinha nada tanquinho. O rosto dela era bonito, mas não o de uma modelo, seus cabelos lisos e negros chegavam até seus ombros e ela usava óculos. Essa era Julie, estava longe de ser a mulher mais bonita, mas ela também não era feia. Sobretudo seu sorriso era lindo, mas só percebi isso bastante tempo depois.

Sexo com Professora e aluno

Sou Ana (nome fictício) tenho 38 anos, casada a quase 9 anos com Lauro (nome fictício). Moramos em Caxias do sul RS, a 5 anos, sou professora, leciono historia, para alunos do 3º ano do ensino médio. Sou morena de descendência negra, cab ondulados, compridos, baixa 1,62 alt., sou gordinha, como toda mulher de descendência negra tenho uma bunda empinada e bem torneada, coxas grossas e firmes. Lauro é moreno, 1,74 alt, corpo sarado, ele possui uma oficina mecânica de caminhões, o que nos garante uma vida confortável, vivemos bem, temos uma casa confortável. Nossa relação com o passar dos anos foi dando uma amornada, ele trabalha muito e eu também. O que vou relatar começou em 2009, recebi um aluno novo na metade do ano seu nome era marcos, tinha 17, quase 18 anos, pele clara, cab e olhos castanhos, era quieto, educado e prestava atenção nas aulas. Próximo ao desfile de 7 de setembro convoquei a quem quisesse me ajudar na confecção das maquetes e mapas para o desfile, mas a turma não se motivou, apenas marcos aceitou ficar após a aula para a confecção dos mapas e maquetes, era quinta-feira e ficamos eu e ele confeccionando os mapas, e assim soube mais sobre ele, que me contou que morava com o irmão mais velho, seus pais eram falecidos, e que ele fazia limpeza de pátios para ganhar um dinheiro ate terminar os estudos e arrumar algo melhor. Lhe falei que nossa grama estava alta e que ele podia ir em minha casa no fim de semana para limpar o pátio e cortar a grama, ele aceitou apos ficarmos uma hora ali, encerramos por aquela noite, levei ele em casa. Na noite seguinte, a mesma coisa ficamos após a aula, ficamos mais uma hora, agora faltava pouco, deixamos o resto para segunda-feira. Sábado a tarde marcos foi a nossa casa para fazer a limpeza no pátio, o recebi, lhe mostrei onde limpar e voltei para meus afazeres, eu vestia um shortinho curtinho de lycra e blusa de alcinhas, estava fazendo faxina, marcos começou a cortar a grama, fazia calor aquela tarde, e em seguida ele tirou a camiseta ficando de bermudão apenas, quando fui estender a roupa no varal não pude deixar de nota-lo. Tinha um peitoral forte e definido, era mesmo um belo rapaz, e ele também logo pôs os olhos em minhas pernas, confesso que fez muito bem para o meu ego aquele jovem e lindo rapaz me admirando, cada vez que eu ia lá fora ele colava os olhos em minha bunda e coxas, mas eu fingia não perceber, afinal ele era meu aluno, fui lá novamente lhe servir um refresco, ele quase não conseguia disfarçar, olhando para o decote da minha blusa e minhas coxas, eu também não pude deixar de dar uma boa conferida nele, mas ficou nisso, mais tarde ele veio me dizer que terminaria a limpeza outro dia pois já estava tarde, concordei, e nos despedimos. Naquela noite eu e lauro transamos, eu d4, minha posição favorita, e comecei a lembrar de marcos, imaginei ele me possuindo, o que me fez gozar muito, meu corpo estremecia de prazer, gozei tanto que quase pronunciei seu nome. Após a transa fui paro o banho e senti vergonha, ter tais pensamentos quanto a um aluno, mas ainda assim percebi que aquele jovem havia mexido comigo, meu lauro já não me olhava assim, já não me desejava assim, o fim de semana todo apesar de tentar me repreender pensei naquele belo jovem, na segunda-feira procurei caprichar escolhi um vestido acima do joelho e uma calcinha quase minúscula, eu não queria que ficasse marcado no vestido com aquelas calcinhas horríveis, grandes e feias, caprichei também na maquiagem e no perfume. Marcos não tirou o olho de mim a aula toda, e após a aula aprontamos as ultimas maquetes, antes de deixa-lo em casa lhe convidei para comermos uma pizza para comemorarmos o fim do nosso trabalho e como havia ficado bem. Compramos uma pizza e comemos no carro mesmo, enquanto conversávamos e riamos, era um clima muito bom entre nós. Ao chegar em frente a sua casa, ele me deu dois bjos no rosto e de surpresa me beijou a boca… fiquei atônita mas não pude me conter e correspondi, logo um frio percorreu minha espinha e recuei dizendo –poxa marcos! Você é meu aluno e sou casada, se alguém nos vê aqui minha carreira e meu casamento vão agua a baixo! Mas ele não se abalou e me convidou para entrar disse que seu irmao só retornaria no outro dia. Fiquei quieta um instante, eu sabia que era errado, que não podia, mas aceitei. Assim que entramos ele veio e me beijou e eu me entreguei a seu beijo e suas caricias, suas mãos tocavam meu cabelo, minhas costas e deslizavam ate minha bunda, sua boca beijava meu pescoço e descia pelo meu decote, arranquei sua camiseta e comecei a acariciar e beijar seu peito todo, foi quando senti sua mao tocar minha coxa por baixo da saia e subir ate minha xaninha já totalmente molhada, ele tocou meu clitóris por cima da calcinha, fechei os olhos, minha respiração foi a mil, não havia mais como voltar a trás e mesmo que tivesse eu não voltaria, queria me entregar a ele totalmente. Fomos para o sofá me sentei no sofá e ele abriu minhas pernas se ajoelhou em minha frente colocou minha calcinha para o lado… quando sua língua tocou meu clitóris soltei um gritinho agudo de prazer comecei a rebolar e gemer quase gritando de prazer e, meu corpo todo tremia de prazer, gozei uma, duas, três… varias vezes com ele me chupando. Depois ele ficou em pé na minha frente, abriu o zíper da calça e ela foi caindo, eu baixei sua cueca, o que me revelou um pau de uns 18 cm grosso, já meladinho em virtude da excitação dele, comecei a acaricia-lo, das bolas até a ponta olhando marcos nos olhos, toquei a cabeça de seu pau com minha língua e depois comecei a chupa-lo enquanto acariciava suas bolas, sempre olhando ele, a expressão de prazer em seu rosto, sua respiração foi ficando mais ofegante eu me deliciava chupando aquele pau delicioso que me preenchia a boca, não demorou para ele gozar, jatos de esperma, engoli tudinho. Depois fomos para o chuveiro, nos beijando e fazendo caricias um no outro, após o banho ainda com o corpo molhado me posicionei d 4 na cama, ele abriu minha bunda e começou a chupar minha buceta sua língua passeava do meu clitóris ate o meu rabinho o que me fez gozar novamente, depois ele se posicionou e começou a me penetrar, sentir aquele pau preencher minha buceta me levou ao delírio, ele enterrou tudinho e iniciou movimentos de vai vem, nisso meu celular tocou, era lauro, procurei controlar a respiraçao e atendi, marcos não parou de me comer o que me fez afastar o celular algumas vezes para lauro não perceber, eu mal conseguia controlar minha respiraçao, aquela situação me excitou muito, falar com lauro pelo celular enquanto marcos socava forte na minha buceta, inventei que havia saído para comer uma pizza com outros prof ele acreditou, quando desliguei soltei um gemido quase um grito, marcos dava palmadas na minha bunda e chupava meu pescoço, gozamos juntos seu esperma escorria pela minha coxa, tomei outro banho me despedi de marcos com um beijo longo cheio de tesao e carinho, ao chegar em casa lauro estava dormindo, o que me causou alivio pois meu corpo trazia marcas da minha aventura, minha bunda vermelhinha das palmadas e meus seios com chupões, mas isso não me preocupava, pois me sentia muito bem. No restante da semana eu e marcos tentamos conter os olhares para ninguém notar. Eu estava completamente interessada louca por aquele belo jovem. o fim de semana chegou e marcos foi em minha casa terminar o corte da grama, vesti um shortinho de suplex e fui caminhar na esteira que ficava na garagem, nos fundos da casa, lauro estava na sala deitado no sofá assistindo tv. Não demorou para marcos ir ate onde eu estava chegou e me agarrou por tras beijando meu pescoço e arrancando minha roupa, tentei argumentar que era perigoso mas ele não se importava e no fundo nem eu, eu fiz por gosto ir ate la com aquela roupa, para provoca-lo, ele tirou a minha roupa e me colocou d4 num sofá que tinha ali, começou a passar seu pau na abertura da minha xaninha o que me arrancava arrepios de tesao, senti seu pau me preencher por completo eu mor
dia o sofá louca de desejo e tesao ele socava forte e fundo eu pedia… implorava para ele meter mais e mais fundo, ele dava palmadas na minha bunda e chupava meu pescoço, acho que ele queria mostrar para lauro que eu era dele agora. Gozamos juntos, me vesti e fui ate a sala, lauro dormia no sofá, aquilo me deu raiva dele por estar ali dormindo, fui ate o banheiro me limpei tirando o excesso de esperma e voltei para sala tirei toda a roupa e acordei lauro, ele acordou meio sem entender nada, comecei a beija-lo tirei seu pau pra fora e comecei a chupa-lo quase ate ele gozar, depois disse para ele me chupar, ele estranhou aquele liquido mas eu falei que eu estava muito excitada que era apenas liquido da minha xaninha e assim ele chupou o esperma de marcos sem saber e eu me vinguei por ele ser tao relapso e pela falta de atenção que ele tinha comigo. Depois ele comeu minha bucetinha já arrombada, gozei muito com aquela situação. Depois disso eu e marcos passamos a nos encontrar todos os dias o que fez com que lauro percebesse que havia algo errado. E me chamou para uma conversa e eu não menti, contei-lhe que havia conhecido outro homem, e que me sentia muito atraída por ele, para minha surpresa ele se sentiu culpado, disse que me dava pouca atenção e que isso fez com que eu me atraísse por outro, ele me pediu uma chance mas eu falei que não queria deixar meu novo afair. Para minha surpresa maior ainda ele falou que deixaria que eu o visse desde que eu fosse discreta para não expô-lo, resolvi aceitar afinal eu não teria que abrir mao de nem um dos dois. E assim com o consentimento de lauro passei a me encontrar com marcos e as vezes ate viajamos juntos. As vezes lauro pedia para assistir nossas transas, como bom voyer ficava ao lado da cama nos assistindo transar e se masturbando, marcos adorava aquilo, me comer na frente do meu marido e eu também adorava dar para ele com lauro nos assistindo, marcos gozava dentro de mim e mostrava para lauro seu esperma escorrendo de dentro de mim. Com o tempo notei que aquilo excitava muito lauro, um dia levantei da cama após marcos gozar em mim fui ate lauro e esfreguei minha xana nele que começou a me chupar enfiando sua língua la dentro, ele gozou me chupando. Marcos passou a trabalhar com lauro na oficina, a noitinha os dois voltavam da oficina para nossa casa e íamos ate tarde transando. Marcos foi ficando mais ousado e dizia para lauro – o patrãozinho gosta de ver eu comer sua mulher né? Olha como ela goza comigo patrãozinho. Quando marcos gozava ordenava a lauro que que viesse me chupar e lauro prontamente obedecia, caia a meus pés e chupava tudinho. Alguns meses depois engravidei, com os exames soube que o pai era marcos, o que não alterou nada, ate hoje somos um triangulo amoroso que deu certo. Bem é isso, essa é nossa historia, espero que gostem, deixem seu comentário. Bjo e obrigado a todos

Comida pela minha professora de capoeira

Oi, me chamo márcia , tenho 29 anos , casada , mais adoro uma buceta.

Minha mãe professora e meu melhor amigo

olá meu nome é Thomas e o que vou relatar aqui aconteceu comigo de verdade, eu atualmente tenho 21 anos , sou branco tenho 178 de altura e 72 kg , sempre gostei de esporte e com isso meu físico sempre foi em dia, e minha mãe é solteira me teve com 18 anos e por ter me tido nova ela é muito atraente , hoje em dia tem 39 anos é parda quase branca , tem 177 de altura não é nem muito magra nem muito gorda , loira dos olhos pretos , mas o que chama mais atenção nela é a bunda , confesso para vocês é muitoo grande , ela nunca fez academia nem nada tudo isso por causa da genética boa , até ela meio complexada com isso por chamar muita atenção dos homens em geral.

Minha aluna é uma putinha lésbica

Curso noturno de uma universidade de terceira linha. Eu comecei à dar aulas para ganhar um dinheiro extra enquanto eu estava terminando o meu doutorado. Era um trabalho ingrato, os alunos estavam sendo iludidos, eles não tinham base de conhecimento para fazer um curso superior, mas saíam do trabalho e iam toda a noite para a faculdade só para conseguir um diploma, mas não o conhecimento.

Aprendendo a Gozar com a Prima Lésbica

Minha primeira experiência lésbica aconteceu quando estava no colegial.

Comi a minha vizinha novinha comprometida

Olha eu aqui de novo! Me chamo Anderson, hoje tenho 25 anos, sou moreno, magro, 1,70 de altura, 60 kg, não sou nenhum galã, mas tenho uma pegada muito firme e uma conversa boa! é o quarto conto que escrevo (tenho vários, caso gostem) peço desculpas qualquer coisa…

Festa Junina da Escola

Me chamo Daniela, mas onde moro só me conhecem por Dani. Tenho 19 anos, 1,62 com peso proporcional a altura, pele morena, cabelos loiros e um corpo bem atrativo, pelo menos para quem me viu. Gosto muito da praia, por isso tenho marcas de bronzeado e isso colabora para que me achem atraente.

Dei pro meu aluno em dia de prova

Aos 20 anos, eu dava aulas de ingles para uma turma de estudantes de Engenharia de Minas. Eram, claro, todos homens, alias, todos rapazes mais ou menos da minha idade. Eu sempre fui muito seria, pois tinha que seguir com a materia, e sempre me vesti de forma discreta porque a Escola de Engenharia era bem no centro da cidade, perto de uma regiao meio barra pesada. Pois bem, mesmo assim, os alunos me cantavam e havia um – muito gatinho por sinal – que me dava muita bola e me lancava olhares desconcertantes….

Sexo delicioso na terceira idade

Meu nome é Marianna, apelido Mary. Tenho 62 anos e graças à boa genética familiar e aos cuidados que sempre tive com a saúde e com minha pele, apesar da idade continuo com o corpo tipo mulherão, coxas grossas e lisas e uma bunda grande e arredondada. Logicamente, não posso me comparar às mulheres jovens e às de 40 a 50 anos, mas sou bastante preservada. A única correção que fiz foi numa cirurgia plástica há cerca de dois anos para corrigir os seios que estavam um pouco caídos. Fui casada com o primeiro namorado e só tive relações sexuais com ele. Não tive filhos e fiquei viúva cedo, com cinquenta anos. Depois disso sofri um pouco com o período da menopausa, mas como nunca tive vida sexual muito ativa, pois desconfiava até que meu marido tinha certos comportamentos homossexuais, dediquei-me por inteiro à minha profissão de professora. Moro sozinha num prédio onde conheço algumas mulheres, mas tenho amizade apenas pela Luiza, quinze anos mais jovem que eu e muito agradável no trato diário e no convívio familiar com um filho que mora com ela. Como recebo pensão do meu marido e a amiga vive de aluguel de imóveis, passamos muitas tardes conversando sobre nossas vidas. Ao ficarmos mais íntimas, contei para ela que a minha vida sexual se resumira exclusivamente ao marido e falei sobre a desconfiança que tinha sobre seu comportamento na cama, tendo a amiga concordado que era estranho e que provavelmente ele fosse homossexual. Assim, nunca descobrira qualquer prazer no sexo.

Putaria Fazendo um Curso em SP

Bom, não sei disse em outro contos, mas moro no interior de SP, apesar ter nascido em São Paulo mesmo, fui criada no interior, então, sempre que posso dou uma fugida pra minha “terrinha”.

A primeira vez da Travesti

Oi gente… sou visitante do “cdc” ha um bom tempo e sempre tive vontade de publicar aqui algumas das minhas historias.

Meu filho, meu homem

Olá, meu nome é Claudia, estou aqui para descrever o que aconteceu a uns 2 meses atrás mas não sai mais da minha cabeça desde quando aconteceu. Continuando, sou Claudia, tenho 37 anos, sou uma mulher muito séria (modéstia parte rs), sou acostumada a vestir muita roupa social, até porque meu trabalho exige isso, sou bancária, por isso a exigência. Sou solteira, no auge dos meus 35 anos, meu marido resolveu viver outra vida em outro lugar com outra pessoa e nos divorciamos de uma maneira bem amigável, tanto que a gente mantém um contato até hoje, mesmo que curto, temos esse contato. Vou me descrever um pouco, sou baixinha, tenho 1,67, olhos cor de mel, cabelo com luzes platinadas e uso óculos a maioria do tempo, me acho linda sim! E outro alguém também me acha, meu filho. Tenho um amigo do banco, colega de trabalho mesmo, sabe, foi padrinho no meu casamento, saímos um dia pra

Transei com minhas alunas da faculdade

Oi gente. Hoje vou narrar para vocês como foi uma de minhas melhores experiências na faculdade. Espero que gostem.

Encontro às Escuras

Bem, nos estávamos conversando no facebook e marcamos de nos encontramos no centro para irmos assisti um filme, você para não dá na pinta levou junto uma amiga sua. Então nos encontramos na entrada do cinema, sua amiga sentou de um lado e eu do outro. Você estava usando uma mini saia branca e uma blusa de renda, deixando sua barriguinha totalmente a mostra, estava linda e sexy ao mesmo tempo, toda cheirosa. Sua amiga por sua vez, estava usando um vestido estampando, até que ela era gatinha, mais eu só tinha olhos pra vc.

O exibicionismo tomando outro rumo – Parte 2

Então vamos continuar os casos me perdoem se o conto vai ficar um pouco longo pois contarei o mês de dezembro de 2017 todo que foi um mês muito movimentado então dividirei em partes vamos ao fatos, nos anos de 2014 quando começamos as brincadeiras depois do aniversário da filha mais nova e em 2015 as brincadeiras foram ficando mais atrevidas gostosas e boa parte delas eram incentivadas por mim como no dia do churrasco com Claudio comecei a fazer surpresas como sair sem calcinha nos passeios noturnos comprei micros calcinhas sem ele saber usava na cama ou quando íamos curtir a noite em bares ou restaurantes além de fantasias sensuais de enfermeira professora comprava