contos eróticos com tia

Visita a Casa de Swing com uma Leitora de contos eróticos

Uma leitora entrou em contato comigo dizendo que adorou os contos e que gostaria de conhecer uma casa de swing. Trocamos algumas mensagens e depois passamos a se falar por whatsup. A foto era de uma loira no perfil e achei que seria interessante marcamos de ir juntos na casa. Trocamos algumas fotos (comportadas) pelo whatsup e depois de umas 2 semanas conseguimos encaixar a agenda para irmos.

Estupro na casa de campo

Olá, meu nome é Ana. Tenho 25 anos.

Casal iniciante no mundo liberal

Depois que comecei a escrever contos eróticos, e deixar meu e-mail, já recebi contatos de gente do Brasil inteiro. Não dá pra conhecer todo mundo pessoalmente, mas dá pra conversar. Muitas das mensagens são de casais que querem iniciar no mundo liberal, mas não sabem como. E como já vi, li e ajudei muitas vezes, já vi de tudo: geralmente é o marido que quer, a mulher tem mais medo; em geral o medo é por não saber se o outro vai respeitar e as mulheres não se sentem confortáveis em transar com outro porque estão fora de forma. Aliás esse último é um desprestígio pro marido. Uma vez que ela considera que tem que estar super gostosa pro comedor, mas pro marido ela dá com o corpo fora de forma mesmo…

Esposinha Insaciável I

Celene tinha se apaixonado por outro homem enquanto estava casada com Valter. Depois de muitas brigas e oposição de ambas as famílias, as duas contra Celene, eles se divorciaram e ela pode finalmente se unir a Lauro Torinho.

Putaria Deliciosa na Argentina

Em outubro de 2017, meus pais ganharam um processo que moviam a anos e resolveram me dar uma graninha pois meu aniversario seria em dezembro, resolvi ir, pela primeira vez à Argentina, visitar alguns amigos que estavam lá fazendo medicina.

Amante do vizinho

Olá a todos, me chamo Marina, leio contos eróticos a um tempo e resolvi contar o meu, o conto é verdadeiro e fui fiel aos detalhes. Esse é o primeiro dessa saga, vamos lá. Tenho 22 anos, tenho 1,67 de altura e peso 58 kg, sou morena, cabelos longos e castanhos, olhos azuis, não sou o tipo gostosa, meus peitos não são grandes, tenho uma bunda grande, mas não é firminha. Moro numa cidade do interior do Paraná, e tinha um vizinho que é maravilhoso, dono da academia perto da minha casa, nome dele é Igor, 37 anos, uns 1,89 cm, cabelo um pouco mais comprido tipo príncipe encantado, um sorriso lindo e o corpo vocês devem imaginar por ele ser dono da academia. Ele sempre foi muito simpático, sempre cumprimentava em nossos encontros rápidos na rua.

Tentação, Difícil ver, tocar e não comer

Podem me chamar de Cacau, tenho hoje 25 anos, na época eu tinha apenas 19, minha irmã que vou chama-la de Lilian, tinha acabado de fazer 18 anos, eu tenho 1.76, olhos castanhos, cabelos curtos, nada de anormal e lindo no meu corpo, ao contrário da minha irmã, Lilian despontava os olhares gulosos de muitos dos meus amigos, eu nunca antes do ocorrido, nunca tive maldade apesar de vê-la quase sem roupas, isso mudou num final de semana quando estávamos sozinhos em casa, aos 17 ela já saia com amigas, bebia e chegava tarde, meus pais achavam que ela nem era mais virgem, eu e Lilian

Tirando a virgindade da minha cunhada inocente

Olá,estou chegando pela primeira vez para escrever,mas eu sempre leio vários contos eróticos, principalmente os que são enviados por mulheres,podem me chamar de JPC,sou casado e vou contar como tirei a virgindade da minha cunhada.Ela é muito gostosa,pois apesar de ser baixinha,tem um corpinho moreninho,umas coxas deliciosas e os peitinhos médios e bem durinhos.Ela é bem mais nova que minha esposa pois é a casulinha da família,sou seu padrinho e por isso eu sempre a pegava no colo e fazia carinhos,dava beijinhos e a abraçava, mas tudo isso não passava de carinhos de padrinho, mas sempre me deixava de pau duro,dai eu tirava uma esporrada e voltava ao normal.Passou muito tempo e ela cresceu, seus pais se mudaram para mais longe e isso acabou.Algumas

Primeira vez transando com uma Travesti

Olá, me chamo Gabriel*, tenho 23 anos e na época cursava minha graduação ainda.

Fui instalar o chuveiro e transei com a vizinha

Olá coros leitores sou novo no site contos eroticos leitor assíduo dos contos.

A Cabeleireira Casada Goza No Salão Pra Mim na Webcam

De tanto escrever contos eróticos aqui neste site de sexo virtual, muitas mulheres entram em contato comigo querendo viver a mesma experiencia que tive e tenho com outras mulheres, sejam elas casadas ou nao, porém, o que todas tem em comum é a mesma coisa, um desejo de entrar neste mundo oculto do sexo virtual.

Perdendo o cabacinho

Sou Carla, pele branca, cabelos castanho médio, tenho 1,57 de altura, olhos castanho mel e sou magra tipo gostosinha. Sempre gostei de contos eróticos e hoje pensei em escrever e compartilhar minhas experiências. A minha primeira vez aconteceu quando eu tinha 19 anos. Tinha pouco tempo de namoro e aconteceu porque eu estava decidida a não ser mais virgem e por ter um enorme tesão pelo meu namorado. Ele não era do tipo homem bonito, mas tinha um corpo bem definido, é forte, adoro ombros largos, forte e peito definido. Ele tinha tudo isso. Falei com ele que era virgem e que gostaria de perder minha virgindade. Ele como um bom cafajeste logo topou e decidiu que seria devagar. Começamos nesse mesmo dia, nos abraçamos, ele me beijou intensamente comprimindo meus lábios me deitou na sua cama e começou a roçar em minhas pernas. Ficamos essa noite assim… muitos amasso eu sentindo o seu cassete crescendo e latejando e roçando em minhas coxas e até na minha bucetinha me deixando molhadinha. No outro dia ele desceu a calça e a cueca e eu pude ver o seu cassete pela primeira vez, quase me arrependi de ter escolhido ele, pois o cassete dele era enorme. Ele pediu para eu chupar. Coloquei na boca e comecei a pagar um oral. Aos poucos senti o cassete dele crescendo na minha boca e ele começou a bombar. Mal cabia na minha boca e eu tinha que parar um pouco para tomar folego, pois ficava ser ar com aquilo tudo forçando a entrada na minha boca até a garganta… teve um momento que ele relaxou na bombada aí eu consegui pagar um oral gostoso, fiz da rola dele minha chupeta, chupava a cabeça como uma gulosa fazendo pressão na chupada, sentia aquele cassete pulsando cada vez mais… então ele gozou na minha boca quase dando um grito de tesão… Ficamos deitado na cama daí ele veio tirou a minha roupa me deixando apenas de calcinha e começou a me beijar passeando a língua por todo o meu corpo…me dava arrepios quando ele vinha nas minhas coxas beijando a parte interna chegando perto da virilha. Eu entrava em êxtase com suas caricias. ele então vendo que eu estava gostando e estava ansiosa para que ele chegasse na minha bucetinha, pois meu corpo se contorcia e o meu quadril movimentava em direção a sua boca, era incontrolável e cada vez mais intenso o meu desejo, ele colocou a boca na minha bucetinha por cima da calcinha mesmo, senti aquele hálito quente e pensei que ia pirar, ele puxou a minha calcinha de ladinho e começou a sugar… eu estava tão molhadinha que quando ele afastou a boca pude ver um liquido mais denso e viscoso nos seus lábios. Continuamos assim por alguns minutos até que ele me chupava e colocava a língua na minha grutinha, passeava gostoso por cada pedacinho da minha buceta lisinha, pois ele já havia pedido para ela está assim, pois ele tinha mais tesão por bucetinha lisinha. Eu estava tão excitada que não demorou muito para eu gozar na sua boca. No terceiro dia começamos tudo de novo e o fato seria consumado. Nos encontramos na casa dele, fizemos muitas caricias e comecei a beijar o seu cassete, logo depois era a vez dele me chupar gostoso como no outro dia. Ele então perguntou se eu tinha certeza do que eu queria, eu estava louca para que acontecesse logo. Ele então aproximou o cassete na minha buceta sem fazer fossa para que eu sentisse o quanto o seu cassete estava duro e pulsante. Me deitou e abriu as minhas pernas ajeitando o cassete na minha grutinha eu estava eufórica com as respiração cortando de tanto tesão, ele começou então a forçar a entrada, quando eu sentia dor ele relaxava um pouco para não me machucar, logo eu dizia que estava tudo bem e ele continuava a pressionar novamente, eu estava tão molhada que o cassete dele escorregava e as contrações que eu sentia na bucetinha eram tão intensas que perdi o controle da pernas, minhas pernas tremiam e o meu quadril se movia de encontro a ele de forma orquestrada e de forma involuntária, até que ouvimos um barulhinho como um clok e eu nem senti dor, o seu cassete então escorregou entrando todinho na minha bucetinha, foi incrível senti aquilo tudo dentro de mim, ficamos assim em um vai e vem gostoso até que chegamos juntos ao orgasmo… tudo foi muito intenso e ele ficou muito feliz ao vê o seu troféu sujo de sangue do meu cabacinho. Essa foi uma das relações que guardo com carinho na minha memória.

Ela desejando outro

Prazer, sou Luan, 28 anos, alto, corpo atlético, namoro a Letícia 25 anos, uma linda mulher. Cabelos pretos, longos, branca, corpo de dar inveja a muitas mulheres. A Letícia, trabalha num hospital em nossa cidade (interior da Bahia ) como auxiliar de enfermagem, sempre gostou de atuar na área da saúde, uma paixão dela. Estamos juntos há 8 anos, Letícia sempre foi de família exemplar, recatada e sempre respeitou nosso namoro.

Sou pervertido, tarado é viciado em pornô

Olá! Me chamo Leonardo, tenho 26 anos, comecei a assistir pornô na adolescência, uns 15, 16 anos, desde então vou adquirindo fetiches e fantasias sexuais, ao longo do tempo realizei algumas delas, vejo muita pornografia, já tentei parar mas não consegui, até passei um tempo, mas sempre volto a assistir novamente, isso me excita muito, adoro assistir vídeos dê masturbação feminina usando os dedos, objetos dos mais variados tipos, (cabo de escova, frasco de desodorante etc.)!

Fazendo Troca troca com o melhor amigo

Me chamo Jefferson, e vou contar uma história verídica que aconteceu comigo a alguns anos, com meu melhor amigo.

Japinha safada fazendo anal gostoso

Adoro ler contos eróticos antes de uma transa, uma vez que fico bastante excitado e parece que na momento do coito encontra-se mais bom, no entanto, de modo algum relatei nenhuma das minhas transas. Por isso, resolvi acoimar meu primeiro bico de uma alienação que fiz há 6 anos na município de Jacareí. Entrei na dependência de abalroa bate-papo do uol na município de Jacareí e comecei a abordar um bate-papo bem sacana com uma moça com alcunha de japinha.

Coroa come uma novinha na praia

Felipe, engenheiro civil, casado, papai de 2 adolescentes, estando no afastamento da família, na praia do Guarujá, como não viu nenhum automóvel na garage, por sentir-se fora da estação, achou que não havia ninguém nos apartamentos acima e abaixo do seu, e se pôs realizar alguns serviços importantes, removendo alguns material, mesas, sofás e fixando alguns quadros nas paredes usando uma furadeira, no momento em que escutou batidas no abrigo de tok, tok, tok vindos do afastamento acima do seu. Logo após o interfone tocou e ele pode escutar uma voz feminina bastante adamado advento do outro lado, avisando-o de que ele não aparecia sem companhia e que aparecia fazendo bastante agitação e se podia corporificar o trabalho mais tarde. Desculpas pedidas, Felipe, combinou acabar o serviço em outra momento no qual ela não estivesse no afastamento. 2 dias em seguida, por acaso ou aprimorado do destino, já com os serviços realizados, os deuses resolveram presenteá-lo, cruzando o seu caminho com a moradora do afastamento acima do seu. Ao abrir a acesso do ascensor, Felipe deu de cara com uma aprazível jovem de dezoito anos, indo para a praia de boina grande sobre a cabeça, óculos escuros, com a parte de cima do biquíni alaranjado, modelando perfeitamente seus pequenos seios e a parte de baixo abafado pela canga similarmente da mesma coloração, com uma alforje na mão, um conserva astro na outra, cadeirinha na mão. Por isso, ele deduziu ser a moradora do afastamento do achar-se de cima e se pôs a exigir desculpas pelo o agitação, etc,etc,etc… logo após, já no saguão do bloco, se prontificou a provocar seus arranjo a praia aproveitando a aberta para conhece-la melhor. Já instalados e acomodados na aria com o conserva astro bem acomodado ela lhe perguntou: Já terminou o seu trabalho? – Efetivamente, já. Agora é apenas abronzar essa praia deliciosa. -Você é de no qual? Sou da agitação oeste de São Paulo e você? – Sou do Morumbi. E a menina, continuou: -Você faz o que dá vida? -Sou engenheiro civil, e foi aí que ele percebeu que ela gostava de abordar, por isso perguntou o que ela fazia sozinha na praia, e a escutou dizendo que havia acabado o treino médio e por duas vezes tentará entrar na aptidão de medicina, porém não abiscoitou sucesso e por isso resolveu levar o ano para estudar e como aparecia cansada resolveu levar uns dias de relaxamento no afastamento dos pais. Perante disso ela início a agiotar de tudo sobre a vida dele e acabou o surpreendendo perguntando: -Casado há bastante tempo? -Não, também não. Estou me dedicando aos pesquisas, já me formei e agora estou fazendo pós-graduação, uma vez que pretendo permitir aulas na aptidão, por causa disso estou aqui para arejar a cabeça… – Você é bem novinha né? Quantos anos? -Dezenove e você? – Tenho 35 anos. Você precisa ter vários garotos aos seus pés…já que é uma criança bastante bonita. -Eu não estilo de garotos mais novos, eles são bobinhos demais, estilo de homens maduros, e com actuação de homem inclusive, que não fique enrolando. Nessa coisa, Lucia, deixou cair o livro que aparecia lendo. Nessa momento, Rafael, ficou abalado visto que se tratava do primeiro volume da terno, Cinquenta Tons de Borralho, da inglesa E. L. James, acontecimento artigo de fundo sem precedentes que conquistou uma az de fãs em volta do mundo, ultrapassando a marca inédita de 40 milhões de exemplares vendidos por todo o mundo. No Brasil, mais de 900 mil livros foram comercializados em 80 dias, uma média de 468 exemplares por momento. -Sério? Ama homens mais velhos? -Geralmente efetivamente, porém na realidade, para mim o que importa é a cabeça do homem, não a idade, é que na maior parte dos garotos, a idade faz efetivamente a diferença, porém não é uma arquétipo. -Já ficou com homens bastante mais velhos que você? -Claro! Já fiquei com um homem de trinta e oito, com um de quarenta e 2, um de quarenta e nove… Nossa!!!-Estou abalado com você viu! E segurando o livro nas mãos continuou dizendo: uma menina mente aberta, que conversa bem, bonita e que ama bibliografia erótica. -Obrigado…você similarmente é bastante charmoso. Você similarmente curte este forma de gênero literário? Ela disse isto olhando-o com uma cara de safadinha, um olhar de tarada e com certeza aparecia com a buceta fervendo. – Não apenas estilo de ler, porém assim como também escrevo contos eróticos e publico-os em sites especializados. Ah é? Pode me mudar o direção do site? –Passo efetivamente. Rafael já aparecia de pau difícil e tentava de qualquer forma acobertar, porém a garotinha queria deixá-lo mais excitado também: -Nossa, olha aqui, já me queimei um tanto… Disse isto puxando a parte de cima do biquini para ele analisar a diferença na pele, aproximadamente que acusando os bicos de seus peitos…meu deus que menina dos infernos, pensou Rafael. E em seguida, mostrou a parte de baixo: -Olha aqui… E puxou a parte de cima da xoxotinha para baixo, similarmente aproximadamente acusando os pelos pubianos, aí ele não aguentou: -Deixa eu analisar mais…abaixa mais um pouquinho vai, quero analisar, e passou a mão em sua barriguinha e ela deixou ele alisá-la. Em seguida ele perguntou se ela não queria sair dali e dirigir-se para o seu afastamento acessar o site dos contos eróticos, ela disse que não, uma vez que seus pais estavam para alcançar para lhe realizar uma visitinha e que iriam ainda que também no inclusive dia e, então, a noite ele poderia ir em seu afastamento, após a saída dos pais. Trocaram o algarismo dos celulares e Felipe, mal poderia acreditar até de noite, foi permitir um afundamento para acobertar o tesao e a impaciência. À noite chegou e meio aflito ele foi no afastamento da menina que também aparecia de biquíni, o recebeu com beijinhos no anverso. Por isso ele disse: -Você é bastante afrodisíaco, possui um modo de garotinha bagunçado com mulher. Efetivamente por causa disso sou uma ninfeta não é inclusive? Rafael se aproximou e colocou a mão na parte de baixo do biquíni que ela usava abaixando-o aos poucos até que apareceu os pelos da xoxotinha dela, pelos loirinhos, uma alienação. Ela deitou-se no sofá já toda oferecida, e ele tirou todo o seu aparência de praia e começou chupando os bicos rosadinhos dos seus seios, uma maravilha…uma criança safadinha que queria deixa-lo adoidado de agradar. Rafael desceu até a buceta e a chupou bem bom enfiando a dialeto dentro daquela piriquita apertadinha, e é evidente, ela não era cabaço, porém ele queria chupá-la bastante. Depressa tirou seu pau para fora e sem camisa-de-vênus introduziu aos poucos seu bimba até a portinha de ouro, enfiou devagarzinho, uma vez que queria senti-lo entrando naquela buceta novinha…foi no momento em que ela o surpreendeu dizendo: -Gosta de alimentar-se uma novinha né…ama trepar com uma mulher mais nova? Que possui idade para ser sua filha né? Nessa coisa ele já tinha enfiado meio da pica lhe. -Claro que eu estilo, estilo de alimentar-se uma garotinha aproximado você, gostosinha e abundância de fogo na buceta. Nessa coisa penetrou-a e comeu-a no pai e mamãe e em seguida ela ficou de quatro, sem que ele precisasse exigir…e ele socou a vara com violência e desta vez a ouviu delirando… e ele disse: -E você ama um coroa né? E bombando mais acelerado… -Gosta de um homem casado e adestrado te consumindo todinha, não é inclusive? –Aiiii, eu adoro isto, um coroa, mete mais bom…vai fode minha bucetinha que está fervendo querendo achincalhar vai… Rafael a tirou achincalhar em sua rola e em seguida, na momento que ele ia esporrar, tirou e gozou na sua assento deliciosa. Depressa foi tomar um banho e puxou-a para baixo do chuva similarmente…mais uma vez chupou inteirinha aquela bucetinha… não se cansava de chupar e abalançar-se a rola, e ficaram na maior putaria ao longo horas, deixando a xoxota assada de tanto foder, e no final no momento em que ele apa
recia já querendo ir ainda que…querendo não né…ele tinha que ir, deu desejo outra vez e tirou a rola e colocou próximo de sua boca, ela não pensou duas vezes e abocanhou-o chupando bastante o cacete, as bolas, e ele socava forte até na sua garganta, colocava o bimba inteirinho dentro de sua boca, e bombava, segurando-a pelo cabelo, chamando-a de cachorra, putinha safada, querendo esporrar na sua boquinha para o serviço ficar completo e ela lambendo…até que esporrou, lambuzando o seu anverso todo com o seu leitinho. Naquela noite Rafael ficou abatido de tanto fazer sexo com aquela criança novinha e no dia posterior dormiu até meio dia. À noite, foi a vez dela lhe realizar uma visitinha em seu afastamento. Aparecia atraente, cheirosa, de banho adotado, com uma sainha blue jeans e blusinha. Rafael lhe ofereceu um vinhozinho e ela disse que adorava. Por isso serviu uma caneco e ela tomou. Gostou e começaram a abordar e ingerir mais enquanto assistiam um filme de amor com algumas cenas bem picantes, adotado a aptidão. Em seguida que o casal do filme tinha transado, Rafael olhou para ela e viu que sua respiração aparecia forte. Ela o olhou e disse que o filme era bastante bom e que tinha ficado “emocionada”. Pediu para ele aplicar a mão no seu tórax para analisar seu coração e pegou a mão e colocou lá. Se olharam nos olhos e ele foi para cima dela e deu-lhe um adorável em sua boca, no que ela similarmente retribuiu. Com a mão também no seu tórax ele começou a pegar nos seus seios durinhos e ela a mudar a mão em sua coxa próximo do seu afiliado, absoluto como ferro. Vendo que aparecia sem corpete, foi logo tirando sua blusa e observou seus seios pularem em sua frente e se pôs a apalpá-los, mamá-los, chupá-los, com ela deitadinha no sofá. Como uma bebedeira no calor ela geme bom e pede para não acabar. Ao inclusive tempo Rafael com a mão abaixa sua fora e vê que sua calcinha já está encharcada. Tirou a fora deixando-a apenas com a calcinha que era uma tanguinha atraente e continuou chupando seus seios deliciosos, lambendo os biquinhos e mordendo-os de rápido. Em seguida disso, foi descendo até alcançar na sua bucetinha. Passou a mão por cima da calcinha e a tirou e viu que a bucetinha, raspadinha, sem nenhum pelinho, também aparecia meio assada, automático da foda da noite antecedente. Rafael abriu suas perninhas e caiu de boca naquela xoxotinha atraente. Hummmm… que delicia que aparecia. Bastante cheirosa e gostosa. Toda molhadinha e ela passava a dialeto lhe todinha e a chupava bom, arrancando gemidos. Ela delirava de atração e não se aguentou bastante gozando em poucos minutos na boca dele que sorvia o seu melzinho com bastante agradar. Sem necessitar aconselhar, ela ficou de 4 com a bundinha bem empinadinha, em uma nítida apresentação de que queria provocar rola no cuzinho. Rafael cai de boca e inicia a beijar toda sua assento atraente. Abre e vê seu cuzinho rosinha piscando para ele, implorando para ser carcomido, devorado, dilacerado. Com toda a experiência de um homem adulto, ele passa a linguinha no abertura e ela se delira de agradar falando que aparecia adorando aquela coisa tudo. Ele chupa mais um tanto e não aguentando mais aponta a cabecinha do pau para o cuzinho e vai empurrando para dentro da sua bucetinha molhada. O cacete já sabia o caminho e vai entrando devagarinho sem defensão até abandonar as bolas na assento com ela gemendo alto e ele bombando, cada vez mais acelerado, enquanto a ouve gemer de atração. Em seguida dessa preliminar ele atilho o pau da xaninha toda lambuzada e bota na entradinha do cuzinho e vai empurrando e como ela está bastante excitada e relaxada ele vai entrando. Ela faz carinha de dor, porém não pede para acabar. Adestrado, ele mete lentamente até as bolas. Descansa um tempinho e inicia a bombar de novo de rápido. Ela vai gostando da foda e inicia a rebolar de novo. Não atraso bastante aparecia metendo bom no cuzinho dela e ela pedindo para abalançar-se mais acelerado que iria achincalhar. Ele falou que similarmente já aparecia chegando, por isso ela pediu para gozarem

Vizinho tarado

Na época tinha 18 anos não podia dirigir, ai encarava o onibus. Entrei no ônibus que já estava lotado e fiquei em pé, como quase sempre ocorria. Não demorou muito e a minha bundinha empinada sob a sainha chamou a atenção de um homem mais velho que se posicionou atrás de mim, eu cansada e sendo chacoalhada para todo lado e de repente sinto que ele encostou de leve na minha bundinha, imediatamente senti um arrepio que subiu até a minha nuca, deixando meus pelinhos em pé, nunca tinha sentido aquilo no ônibus e não sei por que estava sentindo agora.

Corno pela primeira vez uii

Eu amo ler contos eróticos, desde muito tempo eu costumava ler histórias que tivessem pontos muito ligado a Swing. História de corno é a minha preferida. Por ser um leitor nato de história assim comecei a me imaginar nelas, tanto como o amante como sendo o corno. Minha esposa, uma branquinha baixinha bunduda é muito gostosa de 29 anos não imaginava que eu lia esse tipo de coisa.

Me arrependi de ver minha esposa com outro

Olá a todos. Esse é meu primeiro relato, e na verdade único até agora. Quando pensei em escrever sobre minha experiência achei que seria fácil, mas não sabia por onde começar. Vamos pelo começo de tudo então… Não sei exatamente quando comecei a me interessar, mas o fato é que há muito tempo eu estava guardando uma fantasia, mas nunca tinha tido coragem, até que encontrei minha esposa. Me sinto completo com ela, confio nela, e comecei a despertar nela a mesma fantasia. Na verdade, no início ela só aceitou porque eu insisti muito, e algumas vezes de tanto que eu insistia ela até se irritava e acabávamos por nos desentender. Também, não deve ser fácil quando o marido fala pra esposa que quer uma transa a 3. Moramos numa cidade do interior, e portanto um garoto de programa seria impossível. E como eu já tinha lido vários relatos e contos eróticos, ideias não me faltavam. Entrei num site desses onde solteiros e casais criam um perfil à procura da realização de suas fantasias e logo choveram propostas. Criamos um msn para isso, mas ela me deixou à frente para procurar, mas ela que decidiria. Teclamos com algumas pessoas, casais e solteiros, mulheres não pois ela é hétero e eu não tinha a fantasia de transar com outra. Depois de tc com algumas pessoas, um rapaz me chamou a atenção. Seu nome era artur. Na verdade era um casal, e chegamos a tc os 4 certa vez, mas depois de algumas vezes tc com ela, a esposa dele, achei -a meio problemática, então eu e minha esposa resolvemos descartá-la de nossa lista de possibilidades. Mas ele não. Mantivemos contato, e ele disse que ela era meio que mandona mesmo., mas que eles só saíam juntos. Falei com ele que poderíamos tentar ainda, mas sem ela, e por um tempo ele tentou me convencer, até que um dia disse que estava disposto a vir sozinho até nós. Teclamos por um bom tempo com ele, meses, e ele sempre foi paciente. Nunca mostramos o rosto, e ele nos mandou uma foto sua. Minha esposa não pareceu gostar muito, e eu nem sei se isso era bom ou ruim. A única coisa que eu sabia era que queria seguir em frente, o tesão sempre falando mais alto. No site coloquei algumas fotos dela com poses insinuantes, só de calcinha, e ele ficou doido, estava empolgado para nos encontrar, não era pra menos, rs. Minha esposa é morena, estatura mediana, cabelos encaracolados, uma cinturinha fininha, seios e bumbum carnudos e durinhos, redondinhos. Muito Gostosa. Marcamos então um dia para nos conhecermos pessoalmente, numa cidade vizinha a nossa, pois como nessa data ele estaria viajando daria para desviar da rota sem que sua esposa soubesse e nos encontrarmos na cidade combinadao. Ele foi de ônibus e nós de moto. Quando chegamos na lanchonete, ele desceu da moto e a viu logo de cara sentada à mesa, a nossa espera. Então virou pra mim e falou que ela é mais bonita do que imaginava. Fomos em direção à mesa e eles se cumprimentaram, apresentaram-se e sentamos, eu na esquerda, ela no meio e ele na direita, mas quase de frente para nós. Pedimos algo para beber e conversamos um pouco, na verdade ele falou mais, sobre essa fantasia, e sobre a experiência dele já ter saído com outros casais e tal. Achei que seria bom dar uns segundinhos pra eles conversarem a sós, pra ver se ela se soltava mais pois parecia meio travada com aquela situação e também pra eu relaxar um pouco, esticar as pernas pois estava muito tenso. Meu pau tava duro, rs. Saí com o pretexto de ir ao banheiro e a punheta foi inevitável. Minha esposa na mesa, com outro cara, faltava somente ela dizer que queria e eu veria minha esposinha fudendo com ele, e ele tava doido pra comer ela. Gozei rápido, e voltei pra mesa. Tinha acabado de gozar, mas logo o pau endureceu de novo: quando chego na mesa dou de cara com os dois se beijando. E não foi um selinho, foi um beijo mesmo, de boca, de língua, um chupando a língua do outro. Quando terminaram de se beijar eu já estava sentado numa cadeira ao lado. Agora eu que estava sentado quase de frente para eles, e eles sentados juntos. Continuamos a conversar, como se nada demais tivesse acontecido. Ele sempre elogiando ela, e ela parecia dopada: sorria para nós, agradecia os elogios e se beijavam. Parecia distante, mas ligada. Eu já tava confuso com o tesão e o ciúmes. Falei com eles que iria procurar um lugar pra dormir, e ele me pediu pra ficar lá com ela, para ela não ficar sozinha e se conhecerem melhor. Deixei-os e fui procurar o hotel, que logo encontrei, deixando reservado dois quartos. Na volta achei melhor ficar de longe e observar um tempo. Vi que ficavam conversando, ela atenta ao que ele dizia e ele sempre carinhoso, conversava e de vez em quando trocavam mais alguns beijos. Aí começaram os problemas. Fiquei meio mal pois a lanchonete era na praça, e mesmo sendo numa cidade onde não conheço quase ninguém, alguém poderia passar e conhecer-nos. Fui ao encontro deles e eless estavam na maior naturalidade, conversando numa boa. Disse que o levaria e que iria depois com ela, e o fiz. Deixei ele no hotel e fui buscar ela. Quando fui buscá-la, falei-lhe que queria conversar um pouco antes de combinarmos se iria rolar alguma coisa ou não. Disse a ela que todos aqueles beijos eram desnecessários, pois a exposição na praça era perigosa, alguém poderia nos conhecer. Perguntei se ela queria continuar, e se continuaria me amando. Ela me beijou, disse que eu estava e que não tinha pensado nisso, da exposição, e disse que queria sim, queria continuar. Nos beijamos novamente e senti no beijo dela o tesão que estava sentindo. Fomos para o hotel. Entre nosso quarto e dele haviam três outros quartos, e todos davam de frente para um estacionamento e a recepção do hotel. Ele já estava no quarto dele, pois quando o levei falei com ele que se decidíssemos levar em frente, que o chamaria. Nós entramos em nosso quarto e já fomos nos pegando, somente eu e ela, rs, e quando dei por mim estávamos nus, ela chupou meu pau com muita sede e sentou nele ,diferente, solta, o quarto cheirava a tesão. Perguntei a ela se queria mesmo que eu chamasse ele, e ela respondeu dizendo que eu queria ver ela dando pra outro e que agora eu iria ver, que ia dar gostoso pra ele, que queria dar a boceta pra ele. Nossa, aquilo foi demais, ouvi-la dizendo isso me deixou louco e gozei forte enquanto ela rebolava na minha pica. Ficamos deitados um pouco, nos acariciando. Falei com ela que iria chamá-lo, e combinamos de ela tomar banho enquanto eu e ele esperávamos na cama, e quando ela saísse eu iria pro banho pra eles conversarem mais um pouco, talvez mais uns beijos, mas que só começariam quando eu chegasse na cama também. Deixei o celular filmando tudo, e as partes que conto aqui mas que não estava presente foram baseadas no que o celular filmou e no que eles me contaram depois, ela em conversa e ele no skype. Tudo combinado, então fui ao quarto dele e o chamei, mas o recepcionista observava tudo. Dei a chave do quarto para Artur e fui na recepção comprar umas bebidas para o cara ter q sair de lá. Quando ele saiu, Artur foi pro nosso quarto. O problema é que o cara demorou demais, e Artur quando entrou no quarto ouviu o barulho do chuveiro e entrou direto, já foi agarrando ela. Quando cheguei no quarto e não o vi, fui no banheiro e eles estavam se beijando, ele vestido e ela nua. Olharam para mim e sorriram. Eu só consegui falar pra desocuparem o banheiro pra que eu pudesse tomar um banho. Ainda não tinha notado, mas só eu achava que aquilo tudo aconteceria conforme o planejado. Ele foi pra cama, e enquanto aguardava minha vez de tomar banho, a vi se arrumando. Colocou uma blusinha preta colada, perfume e uma calcinha de oncinha socada na bunda. Só um idiota acharia que um cara doido pra comer uma mulher e essa mulher de calcinha enfiada na bunda ficariam conversando numa cama. Mas eu fui um idiota. Eu ainda estava na porta do banheiro quando ela foi pra cama e ele já foi agarrando-a, ambos ajoelhados em cima da cama, e ele meteu a língua na boca dela e a abraçou agarrando sua bunda. Esperei ela esboçar alguma re
ação, tipo seguir o combinado, mas o que vi foi ela chupando a língua dele e o abraçando. Eu entrei no banheiro e eles continuaram se beijando, se agarrando, ele apertava a bunda dela dizendo que estava doido por ela, ela jogou a cabeça pra trás e ele beijou seus seios por cima da blusa. Vi o momento em que ela puxou a camisa para ele tirá-la. Ele passeava a mão no corpo de minha esposa, e não demorou para que logo com uma das mãos ele ficasse apertando sua bunda e a outra esfregando a bocetinha de minha mulher por cima da calcinha. Quando ele tentou colocar a mão dentro da calcinha, ela pegou seu braço e pensei: ela não vai deixar. Errei de novo. Ela pegou seu braço e empurrou a mão dele pra dentro da calcinha e ainda abriu as pernas. Deu uma gemidinha gostosa e ele sempre elogiando ela, dizia que sua bocetinha era quente, que ela era muito gostosa, essas coisas. Ela jogou a cabeça pra trás e ficava gemendo enquanto ele esfregava a mão por sua xana e bunda e a beijava. Quando ambos tiraram a camisa, ele avançou nos seios dela chupando. Ela apertou um seio contra o outro e levou em direção ao rosto dele, esfregando-os. Ela olhava pra ele, enquanto ele se esbaldava em beijos em seus seios e a apertava contra seu corpo. Não aguentando mais, ele tirou a calça ficando apenas de cueca, e o volume deixava claro o tesão que estava sentindo. Em determinado momento ele pediu que ela virasse de costas, colocou o pau duro pra fora e ficou batendo com ele na bunda de minha esposa, que empinada sorria. Aquilo era demais para mim, e embora eu quisesse que ela transasse com outro, a minha expectativa era de que como ela não demonstrava antes muito interesse, talvez por certa vergonha, timidez, em algum momento ela diminuísse o ritmo. Que nada. Ela virou de frente para ele e pegou no pau dele, fez cara de safada e se beijaram, deitando na cama. Ela por cima, se beijaram e esfregaram um no outro. A mão dele passeou pelo corpo de minha esposa, que respondia da mesma forma. Isso durou pouco, pois devido de tanto se esfregarem e tantas preliminares ele pediu que ela o deixasse gozar em sua bunda pois não estava aguentando mais. Ela disse não, e eu pensei que havia chegado o momento do gelo que eu esperava. Ele acabou gozando na coxa dela, enquanto se beijavam. Na verdade eu poderia parar aquilo tudo, mas tinha certeza de que aquele momento chegaria espontaneamente pela parte dela para acabar com meu sacrifício. Me enganei de novo. Ela olhou nos olhos dele e disse: – Você deve ter um pau muito gostoso, eu quero dar minha bucetinha pra você. Se antes vendo eles se esfregando já tava forte pra mim, imagina agora. Imagine ver sua esposa com cara de rendida, como se pedindo um favor, mandando outro cara comer a buceta dela! Artur ficou eufórico e partiu pra cima dela, beijando-a com força, e ela retribuiu. Não demorou e o pau dele tava duro de novo. Se agaixou e ela colocou a camisinha nele enquanto mordia os lábio. De tanto tesão que estava sentindo, nem conseguia disfarçar. Agora quando olhava pra mim só sorria, cara de safada, não estava mais se controlando, e dava atenção só pra eles: artur e seu cacete duro. Ele a pegou e a colocou de 4, montou nela com a pica dura entre as nádegas dela perguntando de quem era aquela buceta, e ela dizia que era dele, ele perguntava se ela ia dar pra ele e ela ficava dizendo que dava, repetindo várias vezes, enquanto ele enfiava o dedo em sua buceta. Ele se levantou pra ajeitar a camisinha e aí veio outra surpresa: ela geralmente é submissa na cama, mas quando ele se levantou ela empurrou ele deixando-o deitado e perguntou se ele gostava que sentasse na pica dele. Foi só ele dizer que sim e ela já foi tirando a calcinha, bateu uma punhetinha nele e se posicionou em cima dele. Tarada como ela estava, bucetinha molhada doida pra levar pica, ele só segurou pra ficar melhor pra ela e ela foi descendo, descendo mexendo e gemendo igual a puta. Cara, só de escrever isso meu coração já acelerou aqui. Só a lembrança já me deixa elétrico. Ele posicionou a pica e ela foi sentando. Vi minha esposa empinando a bunda, abrindo ela pra receber aquele mastro de carne buceta adentro, sentando na pica de outro macho. Ela foi sentando no cacete dele enquanto ele dizia que a buceta da minha esposa era muito apertada e gostosa, e ela só parou de descer quando já tava tudo dentro. Mandou ele não tirar e abriu a bunda com as mãos, pegou no saco dele e puxou como que para garantir que não tinha nada fora ou estava querendo mais e começou a rebolar e gemer. A respiração deles era pesada, ele chamava ela de gostosa, de putinha, e ela mandava ele meter, dizia q ele tinha um pau gostoso como ela achava. Ela cavalgava gostoso no pau dele, gemiam e se contorciam de tesão, ela estava sentando com gosto. Em dado momento ele disse q queria ficar por cima e levantou ela com a pica enterrada e a mandou abrir bem as pernas pois eu estava na cabeceira da cama e eles tinham deitado agora ao contrário, agora com os pés pro meu lado, e eu pude ver ele socando o pau dele socado na bucetinha de minha esposa. Ela já estava entregue a ele, obedecia sem questionar. Ele socava sem pena, e quando ameaçou dar uma parada ela rebolou forte e deu uma gemida que parecia uma bronca por ter parado, que foi respondida pelo retorno das socadas e os gemidos voltaram ao de gosto. Eu, estático, só assistia paralisado a foda que minha esposa proporcionava ao nosso amigo, ele estava se deliciando com ela, parecia q havia tempos que não comia uma mulher, e ela parecia uma puta doida pra trepar. Não foi surpresa quando ele anunciou que iria gozar e começou a meter mais rápido. Minha esposa gemia e mandava ele meter, e ele metia com mais força enquanto gemia também e dizia que estava gozando. A essas horas eu já tinha gozado batendo punheta, e fui tomar outro banho. Não sabia o que fazer. Ouví ele urrando enquanto socava a pica na minha mulher e ela gemendo de tesão. Ele caiu exausto em cima dela. Perguntou se ela gozou, e ela respondeu que não, mas que estava gostoso e que queria mais. “Me dá mais”, ela disse. Se viraram para que ela ficasse por cima, ele com as pernas abertas e ela no meio com as pernas fechadas. Ficaram se beijando, ele falando sacanagens no ouvido dela a elogiando e ela manhosa, só ouvindo e beijando. Saí do banho e eles ainda estavam assim, se acariciando, mas por coincidência quando os vi, ela passou a perna direita por cima da perna dele e enquanto se beijavam ela esfregava a buceta na coxa dele. Ele, que já estava com as mãos apertando a bunda dela, deslizou uma entre as nádegas dela e ficou alisando a bucetinha de minha mulher que já estava dizendo que aquela bucetinha era dele e que queria mais. Eu queria ver minha esposa com outro, mas aquilo estava sendo demais. Eu não imaginava que seria daquele jeito. Sabe, ás vezes pensava que seria só um transa e acabou, só o sexo, a penetração, ainda mais porque minha esposa nunca demonstrou muito interesse, parecia estar fazendo somente pra me agradar, e agora, depois disso tudo, de tudo o que eles já fizeram, vejo os dois agachados na cama e ela olhando pra mim de lado enquanto Artur está chupando sua língua. Nem vi a hora em que ele colocou a camisinha e a jogou de lado na cama com as pernas abertas e se posicionou entre elas. Ele bateu a pica dura na buceta dela chamando-a de gostosa, e ela, apressada, mandava ele meter logo segurando as pernas abertas. Fechou os olhos e soltou um gemidinho quando ele posicionou a cabeça do pau na entrada e num movimento só entrou sem pedir licença, deixando só o saco de fora. Girou ela na cama com a pica enterrada na minha esposa até ficar de costas pra mim, ele praticamente ajoelhado e ela deitada na cama e começou a meter freneticamente. Minha esposa soltou as pernas e abriu a bunda pra eu que a visse bem claro levando toda aquela pica até o saco. Eu só assistia, nunca imaginaria aquilo daquela forma, mas não tinha coragem de pedir pra parar. Eles gemiam, e eu via a cara de sofrimento de minha esposa, mas ao mesmo tempo ela olhava pra ele e sorria enquanto ele
metia. Uma hora ele se deitou sobre ela e a levantou, e a puxando se deitou fazendo com que ela ficasse sentada sobre ele, de frente para mim. Ela me olhou, jogou os cabelos para trás, sorriu e com uma mão me chamou, mas eu fiz que não com a cabeça. Ela continuou sorrindo, colocou as mão para tras, nas coxas de Artur, e começou a cavalgar na pica dele, olhando pra mim. Eu realmente não sei o que deu em mim. A confusão entre o tesão e o ciúmes era tanta que eu travei totalmente, não tinha ação nenhuma, só queria assistir. E embora no momento eu não estivesse gostando, a verdade é que foi muito lindo ver minha esposa sentando na pica do Artur daquele jeito. Ela realmente estava gostando, estava aproveitando a pica dele ao máximo, rebolava e mexia, ele delirava. Ela sentava forte, seus seios pulavam com ela e ele urrava de tesão. Artur perguntou de quem era aquela bucetinha e ela respondia olhando para mim que era dele. Ele se levantou, deitou a cabeça dela na cama e a ergueu pelas pernas, e deu uma chupadinha na bucetinha dela, que respondeu com um gemidinho fino. Artur colocou ela deitada de pernas abertas de novo, mas com um travesseiro embaixo da bunda dela fazendo com que a bucetinha dela ficasse alta, e quando ia meter ela abriu a buceta pra ele com as mãos. “O que você está fazendo, hein putinha” – ele disse, e ela só respondeu – “come logo”. E eu só assitia. Aquilo tudo era tesão demais. Minha esposa estava entregue de tal forma que eu nunca tinha visto. Não parecia ela mesmo. Ele meteu e logo estava socando rápido, até que virou de novo e ela ficou sentada sobre ele novamente. Minha esposa sentada sobre ele, cavalgando sua pica, de perfil, era realmente lindo. Ela contraía as nádegas contra ele, como se quisesse puxá-lo para dentro de si. Cavalgava e mexia olhando nos olhos dele, gemiam ao mesmo tempo, muito tesão mesmo. Houve um momento que ele pediu para ela parar um pouco mas ela não obedeceu, e se ele não tivesse tirado a pica arada, só esperando, acho que teria gozado novamente. Eles se levantaram, ficaram se beijando e se acariciando enquanto se observavam no espelho que tinha ao lado da cama. Ambos olhavam para o espelho, passeavam as mãos um pelo corpo do outro, até que ela pegou a mão dele e a colocou em sua bucetinha e com as próprias mãos apertou os seios oferecendo-os para que ele os chupasse. Ele tentava colocar na boca, mas não cabiam, chupava os seios de minha esposa enquanto esfregava a bucetinha dela com as mão. Ela já estava mexendo o quadril involuntariamente quando resolveu bater uma punheta pra ele, e assim ficaram os dois por um tempo, se beijando e mastubando um ao outro, ele sempre elogiando o corpo dela, e falando sacanagens, e ela só ouvindo e sorrindo, de vez em quando uns gemidinhos abafados dos dois podiam ser ouvidos. Mas foi por pouco tempo. Artur se levantou e eu pude ver que seu pau já estava duro de novo. Colocou minha esposa de 4 na beira da cama e ela ficou parada, só esperando por ele. Eu estava do outro lado da cama, de frente para ela. Ela olhava pra mim, sorrindo, cabelo bagunçado, seu rosto parecia estar em brasa, quente, cara de safada, e com uma das mãos estava abrindo a bunda pra Artur, que estava com uma mão também na outra nádega dela abrindo mais ainda sua bunda e na outra mão seu pau, duro, enquanto elogiava a bunda de minha esposa que ouvia tudo e continuava a sorrir pra mim. Cansada da demora ela mandou ele por, ao qual foi prontamente atendida. Ele meteu o pau na bucetinha de minha esposa devagar, até enterrar tudo. Ela fechou os olhos e abaixou a cabeça. Artur encaixou as mãos na cintura dela e começou a fuder minha esposa. Os cabelos dela balançavam junto com seus seios a cada metida que Artur dava. Ela respirava ritmada pelas metias, com a boca aberta e a língua de fora como um cachorro com sede, mas a sede dela era na buceta. Ele metia puxando o cabelo dela, batendo em sua bunda, chamando ela de safada e de puta. Ela só gemia na pica dele, mordia os lábio fazendo cara de safada e olhando pra mim e pro espelho vendo o reflexo deles fudendo. Ele metia sem parar. Em certo momento Artur se abaixou e colocou a língua na boca de minha mulher, que já foi chupando-a, enquanto tanto ele como ela ficavam mexendo. Ele se colocou atrás dela de novo e perguntou se poderia meter com força, e ela soltou baixinho um “pode”. Foi o bastante para ele socar o cacete contra ela. Seus corpos se chocavam fazendo aquele som característico, agora ele gemia também enquanto a chamava de gostosa e outros adjetivos que já vinha falando anteriormente, e ela gemia e mandava ele meter mais. Parecia uma briga onde ela estava disposta a todo custo a derrubar o pau de Artur e ele a destruir a buceta de minha esposinha. Ele seguiu por um bom tempo metendo forte nela, as socadas que ele dava chacoalhavam o corpo de minha esposa, mas ela não parava também e mordia o lábio e gemia olhando pro espelho, para que ele visse como ela estava. Quando ele diminuiu o ritmo, ela começou a jogar a bunda contra ele e mordendo a língua demonstrando que ainda queria mais. Ele se recostou contra a parede que era próxima da beirada da cama onde ele estava e ela ficou se movimentando num vem e vai fazendo o cacete dele continuar o movimento de entrar e sair dela. Ele deu uns tapas na buna e a chamou de safada, ela respondeu sentando toda e rebolando bem gostoso. Artur então meteu um dedo no cuzinho dela e ela voltou a fazer o vai-e-vem com a pica em sua bucetinha, mas não demorou e ela tirou o dedo dele de lá. Não sei porquê, pois ela fez cara de quem estava gostando de dar a buceta com um dedo no cu. Talvez porque antes de rolar tudo isso ela e eu tínhamos combinado dela não dar o cuzinho pra ele, mas se durante a foda algumas vezes ela me chamou e eu fiz cara de quem não estava conversando e não participei e assim mesmo ela não parou, porque ela se importaria agora? Bem, o fato é que ela tirou o dedo dele mas continuou a foda. A essas alturas ele já estava metendo de novo, mas os dois estavam exaustos. Eu? E eu, como estava? Ninguém parecia se importar. Eu estava chateado pelo fato dela não ter reparado que queria que ela parasse a transa, pois não estava curtindo. Eu estava chateado pelo fato dela sentir tesão com ele. Estava chateado por ela estar gostando da pica dele e da foda com ele. Estava chateado comigo mesmo por ter deixado tudo aquilo acontecer e não ter feito nada nem pra impedir e nem para parar. Eles se deram uns minutos de descanso e ficaram se beijando enquanto se acariciavam. Numa última tentativa de fazê-los entender que eu não estava gostando, e assim fazê-los parar, eu disse que ia sair do quarto pois não queria atrapalhar eles, e saí mesmo, fui pro quarto de Artur e fiquei lá por uns 15 minutos, aguardado que ele chegasse e eu pudesse voltar para meu quarto, mas como ele não chegou voltei pra lá. Encontrei Artur socando a pica na buceta de minha esposa que estava deitada de pernas abertas, gemendo e mandando ele meter mais. Ao invés deles pararem, começaram mais uma vez e ele já tava socando com força com minha esposa pedindo mais. Resolvido a fazê-los parar de qualquer maneira, tive que pedír a Artur que saísse e me deixasse a sós com minha esposa. Sem dizer nada, ele parou o que estavam fazendo, se vestiu e saiu. Sentei na cama e conversei com ela, falei tudo o que estava sentindo, disse a ela que lhe dei pistas que não estava querendo prosseguir com aquilo, mas que ela não viu ou fazia de contas que não estava vendo. Falei a ela que todas as vezes que ela me chamou eu demonstrei que não estava gostando. Boa parte das vezes que ela me chamou eu nem coloquei aqui, no relato, mas foram umas 5 vezes. Ela alegou que achou que eu queria ficar somente assistindo, e o fato de eu fazer sinal negativo quando ela me chamava que era negativo para participar, só iria assistir. Acabamos nos desentendendo. De manhã levei Artur de volta para a rodoviária, para que ele pegasse o ônibus para sua cidade. Ele tentou se explicar também, mas também me desentendí com ele. Na verdade, eu n
ão conseguiria me entender com ninguém, estava ainda muito confuso. Voltei para o hotel para buscar minha esposa e voltamos para casa. Passados alguns dias, depois de muito diálogo, nos entendemos, e hoje está tudo bem. Também conseguí me entender com Artur. Hoje assisto o vídeo do celular que deixei gravando e morro de tesão toda vez que assisto, e nessas horas penso em tentar repetir, mas acho que ainda não estou preparado, afinal nunca sabemos como realmente pode ser.

Comendo a boceta da vizinha coroa

Sou Leitor assíduo dos contos eróticos, só que tem muitas histórias narradas como verídicas, que na verdade, é fruto da imaginação nada fértil de Alguns leitores, a história que passarei a narrar, aconteceu comigo há exatamente 21 anos atrás, na época eu tinha 16/17 anos, eu moro em uma cidadezinha do interior da Bahia, nessa época eu trabalhava das 08:00 às 13:00, era um maníaco sexual, coisa normal na idade de um garotão saudável, o fato interessante para vocês, era que nos fundos da casa de meus pais Morava uma senhora, Dª Maria Antonia, era Uma Mulher Negra, bem robusta, os seios bem farto uma bunda enorme, não era muito barriguda, era

Fudida por um policial na viatura

Ola pessoal sou fã de contos eroticos a muito tempo e sempre tive vontade de escrever um mais vamos ao que interessa espero que gostem! Eu sou branquinha olhos cabellos e olhos castanhos escuros cintura fina 1.65 de altura pernas grossas e bundinha media mais empinadinha solteira com 25 aninhos. era um dia comum de terça feira apesar de estar saindo um pouco tarde do trabalho la pras 21:00hs porque queria deixar umas coisas adiantadas e poder chegar mais tarde no dia seguinte,passando numa rua um pouco estreita e sem movimento aparesse do nada um moleque que correndo toma a minha bolsa desesperada eu grito por socorro e um policial que fazia ronda no local chega em uma viatura e pergunta o que estava acontecendo,explico o fato e enfatizo havia documentos muito importantes dentro da bolsa ele diz pra eu ficar calma e espera-lo ali que ele ia rodar e ver o que encontrava chorando eu sento na calçada e depois de uns 25 minutos vejo a viatura voltando entao o policial fala foi esse elemento que esta ai no fundo que te assaltou senhora nesse momento percebo que ele me comia com os olhos e vejo como ele era gostoso, alto forte, moreno, olhos cor de mel um tezao de homem,digo sim mais que ele liberasse o menino pois fiquei com pena ele devia ter uns 12 anos. ele me devolve a bolsa pede perdao chorando e vai embora depois que dou alguns sermoes e conselhos a ele. o policial xegando mais perto fala no meu ouvido se eu nao qreria realmente fazer um BO digo que nao mais ele segurando meu braço forte diz que mesmo asim eu teria que acompanha-lo. dentro da viatura ele passa a mao na minha coxa e dar uma apertada tao gostosa que eu ja começei a sentir minha buceta piscar,me pergunta se eu sou boa pagadora digo que sim entao ele fala ainda bem porque voce vai ter que me pagar o que eu fiz por voce hoje. ele me leva pra um lugar estranho bem deserto pra falar a verdade era um matagal,para a viatura e tira aquele pau medio devia ter uns 18 centimetros bem grosso e manda eu xupar bem gostoso eu nao perdir tempo e comecei a xupa-lo bem devegar mais sugando forte quanto mais eu xupava e presionava seu saco ele gemia e falava ´´que boca deliciosa quentinha xupa vai putinha xupa bem gostoso esse caralho vai´´. derrepente ele manda eu sair do carro e me agarra me beijando descobrindo cada pedacinho da minha boca com aquela lingua deliciosa ai que beijo gostoso tira minha blusa e xupa meus peitinhos que ja estavam com os biquinhos empinados me lambe toda e me manda deitar no capó do carro levanta a minha saia coloca minha calcinha de lado e começa a me lamber e xupar meu badalo bem forte fazendo eu gritar de tezao pressionando a cabeça dele contra minha xana minha buceta tava entumecida de baba eu rebolava bem gostoso quando sentia aquela lingua entrando e saindo foi quando eu gozei pela primeira vez aquela noitemeu policial disse que sabia que pela minha cara eu era bem putinha pege uma camisinahe manda eu sentar e foder bem gostoso o caralho dele nao espero nem mesmo um segundo e começo a cavalgar bem gostoso ele urrava e me perguntou se eu ja tinha tempo que nao dava pra ninguem pois eu tava bem apertadinha disse a ele que tinha uns 4meses ele disse que entao aquela era a hora de tirar o atraso. ele me vira de 4 no capó da viatura e me fode bem fundo e gostoso ate que ele e eu gozamos juntos,depois de uns 5 minutos o pau dele ja tava que nem pedra de novo ele coloca outra camisinha e torna a comer minha bocetinha rosada enxarcada de tezao gozamos mais uma vez ele pede pra comer meu cu mais eu nao deixo pois nao queria perder meu cabacinho do cu com um desconhecido,entao colocando outra camisinha ele me deita no chao e no papai e mamae mais delicioso que eu ja fiz começa a me fuder bem fundo mais uma vez eu delirava sentindo aquele homem dentro de mim aquele caralho duro me arrombar eu arreganhei bem as pernas pra aproveitar aquele tezao de homem em cima de mim quando eu ja estava perto de gozaz mais uma vez eu peço pra trocar de pocisao fico por cima e praticamente pulo naquele pau durissimo rebolando bem gostoso com as pernas abertas pra que ele pudesse ver tudo e se maravilhasse co aquela visao quanto mais eu rebolava ele gemia e emplorava pra que eu fizesse mais e mais me xamando de cadela vadia ouvindo aquilo nao aguentei e gozei mais uma vez equanto ele tambem goza um tempinho depois na minha boca aquele leite quentinho que eu engoli sem deixar nadinha ele me leva pra casa e se despede falando que qualquer problema era so chama-lo que ele viria me ajuda mais que depois eu ja sabia teria que paga-lo de um jeito bem gostoso. entrei em casa e fui dormir pensando na aventura e naquele macho tezudo que ate hoje eu encontro no caminho do trabalho depois disso fodemos mais umas 3 vezes ate que eu descobrir que ele era casado entao nunk mais,mas eu ainda sonho com ele!.

Puta safada que adora uma piroca grossa

Como já comentei em outros contos eroticos , não tem nada melhor que ter uma puta safada em casa , daquelas que quando esta com um comedor aproveita o maximo , sem se importar com o marido corno , todos sabem que minha puta adora pau grande , aqueles que a cabeça fica querendo entrar no cólon do útero, mesmo que depois ela fique cheia de dor por uns dias , mas assim que passa quer mais pau, pois bem, semana passada saimos para tomar umas cervejas e olhar o movimento pela cidade, pois tinha rodeio e festa populares na cidade, paramos o carro e descemos para apreciar melhor o movimento, e então estava passando um ex colega de faculdade de minha puta, que todos diziam ser gay, nada contra , cada um na sua , ele nos viu e veio até nós, e ficamos de conversa , como minha puta já tinha bebido um pouco, começou a lembrar do tempo da faculdade e das colegas, ela falava que a