bunda de cavalo

A companheira de serviço casada e safada

Meu nome é Rafael e essa historia aconteceu há dois dias. Trabalho na prefeitura da minha cidade e o departamento que eu trabalho fica em um bairro separado da prefeitura e nesse dia, estávamos somente eu e a faxineira do meu departamento. Me descrevendo, sou moreno claro, 26 anos, 182 cm de altura, 79 kg, corpo sarado, pois malho e um pouco dotado, 19 cm. A faxineira, na qual chamarei de Eliana, já é casada, tem cerca de 51 anos, moreno, cabelos castanhos, um belo par de peitos e uma bundinha até que empinada, sempre fui gamado nela e nesse dia resolvi tentar algo a mais. Como estávamos só nós dois nesse dia e meu serviço já estava bem adiantado, resolvi ajudá-la na faxina. Até ai tudo bem, até que ela resolveu limpar em cima do armário e para isso tinha que subir na cadeira e assim foi. Devido o calor, ela usava uma blusa

Minha namorada deu para o motorista e o cobrador

Minha namorada deu para o motorista e o cobrador Meu nome e José, tenho 32 anos, sou branco um pouquinho baixo e tenho o corpo franzino, ou seja sou fraco fisicamente. Namoro com Anita faz dois anos e meio, ela tem 21 anos é de cor morena, altura média, cabelos pretos tocando a cintura, bunda e seios graaaaaandes, muito chamativos. Quando esta de costas e de parar o transito, tem o rosto bonito, mas e o corpo que mais chama a atenção dos homens, eu a amo, morro de ciúmes quando saio com ela, pois a todo o momento ficam homens mexendo com ela, não respeitando o meu porte físico, pois sou fraquinho. Quando esta comigo, Anita não olha, mas percebo que gosta que mexem com ela. Anita gosta de vestir muito curto, saias minúsculas e rodadas, vestidos bem apertadinhos, e shorts deixando a barriguinha de dar inveja em qualquer mulher a mostra, adora mostrar um pouquinho da bunda, eu me irrito com isso mas morro de medo de perde-la e não falo nada. Ela se comporta muito bem, vai sempre a igreja, tem poucos amigos, é um pouco tímida, mas quando esta comigo fica toda soutinha, muito safadinha, eu a respeito muito, pois ela sempre sonha em casar virgem, eu me esforço para resistir as tentações e poder realizar o sonho dela. Sempre que estamos namorando, minha sogra fica por perto disse pra mim que não deixa suas filhas fuder antes do casamento, e fica escondida nos espiando, eu acho bom, pois isso nos ajuda a comportar direito, mas nas oportunidades que tenho eu aproveito um pouquinho. Anita gosta de usar vestidos quando estamos namorando, os preferidos são um vermelho e outro preto, ambos muito curtos, quase mostrando a bunda. Quando estamos sozinhos eu fico levantando o vestidinho dela ponho a mão dentro da pequena calcinha e toco a bucetinha com os dedos tendo muito cuidado, chupo bem de vagar, tenho medo de machucar aquela xaninha porque e virgem. Anita fica taradinha igual uma cachorra no cio, fica com a xotinha meladinha, fica abrindo a rachadinha e pedindo pra eu enterrar meu cacete dentro dela, eu não consigo, sinto pena pois tenho medo de machucar aquela xotinha que e muito apertadinha, ela me disse que o ginecologista falou, que eu vou ter muito trabalho para quebrar aquele cabacinho, pois o buraquinho era muito pequeno. Nos namoramos so nos finais de semana, pois eu trabalho muito, e so me resta os finais de semanas para namorar, Anita reclama muito, pois diz esta carente, sente minha falta, mas eu percebi que ela sentia falta mesmo e do meu dedo, que não sai de dentro daquela mini calcinha quando estamos namorando, eu fico passando a mão o tempo todo naquela xerequinha toda raspadinha, ela adora e souta um gozo atraz do outro, fica com a calçinha enxarcada de porra, soca o meu pau todinho dentro da boca e me recompensa batendo uma punheta depois, isso e o suficiente para mim satisfazer, mas percebia que Anita já não estava satisfeita apenas com isso, pois a todo momento pedia para eu enterrar aquele cacete na sua rachadinha, eu ficava preocupado pois na rua da casa que ela mora, passa um motoris e um cobrador que falta comela com os olhos, são dois morenos altos, fortes, duas vezes maiores que eu, ela dizia que eles sempre pegavam na bundinha dela, toda vez ao entrar no ônibus, isso me deixava com medo, pois temia pela segurança de minha namoradinha. Era uma quarta feira, Anita me ligou pedindo pra que eu fosse em sua casa, pois disse estar sozinha, sua mãe estava viajando, e que estava com medo de ficar sozinha, eu falei que não podia ir pois se a mãe dela soubesse não ia gostar, alem do mais nos poderíamos fazer besteiras. Ela não gostou ficou com muita raiva me xingou de tudo quanto foi nome, e desligou o telefone muito furiosa. Eu fiquei preocupado, pois ela estava sozinha em casa, tive medo que algo de ruim acontecece com minha namoradinha. Se passou umas três horas depois, era 10:35 da noite quando resolvi ir ate sua casa, que fica a 5km da minha, cheguei na frente do portão e vi um carro preto parado sem ninguém dentro, fiquei com medo, vi o portão um pouco aberto e entrei, quando cheguei perto da porta de entrada ouvi uns gritos de dor, pensei em ligar pra policia naquele momento, mas aumentei os passos e entrei dentro da casa, quando olhei pro quarto, vi dois homens morenos, altos, fortes e estavam amassando Anita todinha, ela estava peladinha, um dos homens sugava os seu seios como um bezerro, o outro enrrabava o cuzinho dela igual um tarado um esfomeado que não via comida a muito tempo, socava com muita força, ela britava muito, um deles disse: “Que delicia de bucetinha, é virgem motorista…! Eu vou arrebentar esse cabaçinho agora, minha namoradinha gemia de dor e de tesão, o cobrador colocou-a de lado, e o motorista enterrou o cacete naquela boquinha, ela chupava bem devagar, logo depois o cobrador ficou cuspindo dentro da xaninha dela, passou cuspe no pau dele, e ficou passando na porta daquela xerequinha linda, toda lizinha suja de cuspe e um pouco gozada, era um cacete enorme e grosso, ele abriu as duas bandinhas da xereca dela como se fosse uma bolacha recheada na qual o recheio do meio ele ia comer naquele momento. Colocou aquela cabeça enorme , ela gritou muito, ele aproveitou que tava dentro e enterrou o restante do cacete, ela gritava tanto que fiquei com pena pois a dor parecia estar rasgando a bucetinha dela toda, mas o cobrador não teve dor, socava com muita força fazendo um vai vem rapidamente, entrando e saindo naquela bucetinha que estava deixando de ser virgem. Ela com a cabeça no colo do motorista que fazia carinho nos seu cabelos, e ao mesmo tempo enterrava todinho o caçete na boca da minha namoradinha, os dois gozaram quase que ao mesmo tempo o motorista gozou dentro do cuzinho dela, e o cobrador gozou na cara, eu fiquei com raiva, pois aqueles dois selvagens socavam igual uns cavalos naquela bucetinha que eu tinha tanto cuidado, olhei pro lençol e vi que estava cheio de sangue, e minha namoradinha dizendo que queria fuder mais com eles, os dois olhando um pro outro deram uma risada, colocaram ela no colo e começaram de novo a brincadeirinha…! eu fui embora chorando depois de ver aquelas cenas, no outro dia eu liguei pra ela e terminei o namoro, mas depois de 6 meses eu liguei pedindo pra voltarmos, ela aceitou e estamos juntos ate hoje… eu deixei alguns fatos interessantes sem contar, se quiserem saber de mais detalhe me mande um email ou fale nos comentarios…

Juliana dando a bunda

olá amigos eu sou d e vou contar outras de minhas aventuras sexuais,Juliana era uma menina que morava beirando s linha de trem da minha casa,ficava sempre de cima do terraço olhando Juliana pegar sol,num belo dia tava indo comprar cerveja no mercado me deparei com ela cheio de bolsas pesadas e ofereci ajuda,ficou meio sem graça e logo aceitou,viemos batendo um papo legal no caminho,vamos a sua casa,Juliana me agradeceu pela ajuda e me convidou para entrar,quer água alguma coisa?não obrigado pelo carinho,sua casa era linda coxinha grande,quando Juliana me disse uma coisa que fiquei meio sem graça,eu já bem vi vc me olhando do muro da sua casa,fiquei sem ação e Juliana disse,relaxa homens são assim mesmo não podem ver um rabo,sorrimos,vem ca vamos dar um mergulho na piscina,fui e Juliana ficou de biquíni toda linda,bunda grande e peitinhos pequenos mais deliciosos,disse a ela que tava sem cueca de praia,vamos lá no quarto do meu irmão acho que tem alguma lá,vamos e Juliana andando na minha frente com sua linda bunda branca,fiquei

A Noiva Gostosa na despedida

Oi, eu sou a Andresa e tenho 28 anos. Sou morena clara peitos grandes e durinhos natural tenho uma bucetinha da forma que todos homens gostam surreal molhadinha e resolvi publicar meu conto aqui, porque vou me casar ano que vem com corninho do meu noivo se você não leu os outros contos não perca tempo corre e ler.

Eu de shortinho afim de putaria

Ola me chamo Fabio tenho 32 anos branco 1,75 altura 75 kg liso sem pelos nenhum o que vou relatar aqui é verdadeiro e aconteceu nesse domingo dia 04/03/2018, estava em casa no maior tesão eu tenho algumas roupas femininas e quando eu to com tesão eu coloco e pra ficar com mais tesão ainda eu coloquei uma calcinha fio dental branca de renda e um shortinho curto e pela primeira vez sai de casa vestido assim peguei meu carro e sai dar um role louco pra arrumar um cara bem tesudo pra mim dar e comer também fui ao centro da minha cidade em uma rua que sempre tem uns travestis e uns caras que curtem uma sacanagem, parei meu carro e não demorou muito pra encostar um cara não muito bonito mais musculoso 25 anos kaike o nome dele que me perguntou o que eu procurava eu logo disse to afim de uma sacanagem hoje ele respondeu bora então que eu também estou afim.

Relatos de Karen ao marinho I

Karen está com uma das coxas apoiada no ombro de Marcos, seu marido. Ele é um perito em mamar uma xana, ainda mais depilada e cheirosinha como da sua esposinha.

jessica lutou mais a vontade de dar o cu era mais alta

Olá amigos sou deco e vou contar PR vcs uma de minhas, Jessica é uma mina que conheci em Madureira,trocamos muitas mensagens até formamos um encontro no mesmo lugar,jessica veio linda,mais o que mais me chamou a atenção foi sua linda bunda,na conversa me confessou que era casada,que estava carente,seu marido não le dava a atenção que queria,mais eu fiquei com pena e não quis me aproveita da situação dela,deu PR ver que ela era uma mulher que passava por dificuldades no relacionamento,conversei muito com ela é a coloquei no carro PR levá-la para casa dela quando no caminho jessica acariciou meu pau é disse,eu tô querendo fazer amor com vc lindo,perguntei se era isso que ela queria é ela disse,meu marido tem outra,descobri e vou dar o troco a ele,logo jessica puxou meu cacetao PR fora do meu short e punhetou e depois pois na boca,que delicia,jessica chupava e gemia de tesão com meu piru na sua boca,levei PR minha

Comendo a buceta de uma doutora faminta

Há um tempo atrás precisei dos serviços de um advogado, então recebi um contato de uma doutora de nome Rosana, conversei com ela e marquei uma consulta.

A Transformação de Nathália – Parte 4

O quarto está girando quando ela acorda… Nathália esfrega os olhos com força… procura uma referência de horário… só consegue perceber que está tudo escuro… não vê o celular por perto… Seu corpo inteiro dói… uma dor que ela gosta, por mais puta que ela esteja com Jorge – ela gosta… nunca havia experimentado tamanho prazer… Onde estaria o FDP ? Seus olhos começam a se acostumar com a escuridão… há alguns centímetros a mordaça em forma de pau… ela consegue reconhecer as marcas de seus dentes… O maxilar ainda range. Sente o corpo todo pegajoso do suor. Com esforço leva a mão à bunda e constata o que já temia… está toda esporrada. Sente-se humilhada. Ele conseguiu… Ela tinha prometido para si mesma que sairia dominante da situação, mas não contava com a engenhosidade sádica daquele gordo infame. Tenta se levantar, mas ainda não têm forças…

Comendo a mãe de um amigo

Tenho um amigo que o conheço desde a 4° série, sempre fomos muito grudados, até nos chamávamos de primos.

Provocamos o atendente gostoso e ele acabou realizando a nossa vontade…

Aconteceu em nossas férias em Camboriú/SC, era uma antiga fantasia minha, ver Sophia levando vara de outro homem.

Desejo intenso pela Cunhada

Olá, meu nome é Marcelo, tenho 28 anos, tenho 1,90m de altura, sou moreno, gosto de me manter em forma sempre praticando atividades como, por exemplo, correr e pedalar, gosto também de andar sempre bem arrumado e cheiroso, sou casado com a Priscila, uma mulher linda, cheirosa e que me satisfaz muito bem na cama, porém, hoje vou falar um pouco mais de sua irmã, Gabriella ou Gabi, para os íntimos. Ahh que cunhada linda eu tenho, que por sinal, é casada com Rafael, um rapaz muito gente boa, porém, quase não fica muito em casa, pois ele trabalha em uma empresa de combustível e viaja muito.

Matando a vontade no pau grande do negão

Meu nome é Jandira tenho 68 anos, tenho1, 65 de altura peso 90 kilos sou gorda tenho uma bundão que parece tanajura empinada para trás, sou casada com senhor Paulo, a 48 anos temos um filho que mora no Mato grosso, pois passou em um concurso público e teve que ir para lá, me casei aos 20 anos e meu esposo com 30, hoje ele está com seus 78 anos, vivemos uma vida tranquila em nosso pequeno sítio no interior do paraná, meu esposo e alguns amigos compraram juntos uma fazenda uns 20 anos atrás e Todo final de semana meu esposo vai para a fazenda e só volta na segunda, ficando eu só no sítio. Já fui algumas vezes na fazenda mas sempre fico em casa, pois meu esposo vai sempre com os sócios ( amigos). Tudo começou quando o nosso caseiro adoeceu e tivemos que contratar um empregado novo, nosso caseiro não morava no sítio, pois tinha sua casa própria, mas o sítio tinha uma casa que era para o caseiro. Contratamos o Valmir, um homem negro alto forte, tinha seus 48 anos, era separado e, foi morar no sítio, na casa que era para o caseiro que ficava nos fundos. Valmir era trabalhador, meu esposo o adorava. Meu esposo desde os seus 60

Virei putinha safada de um desconhecido na boate

Estou em casa agora realizando um projeto e me lembrei de um fato ocorrido no ano passado, resolvi compartilhar com vocês. Bem eu sou casado, maduro, discreto, mas sempre gostei de sexo entre 4 paredes e, nas relações com outros homens gosto de ser a mulher, de ser passivo. No ano passado depois de um dia exaustivo, meus amigos insistiram para irmos numa boate para beber, daquelas que são frequentadas por mulheres, casais, homens solteiros. O lugar era bem escurinho e sentamos em uma mesa e bebemos muito. Num certo momento meus amigos sumiram e fui até o banheiro, estava bem tonto e resolvi sentar para fazer xixi e um cara me observou durante todo o tempo. Era um cara alto, gordo, meio moreno. Voltei para minha mesa e, de repente e sem cerimônia nenhuma ele sentou também e começou a conversar se insinuando todo. Eu estava meio grogue e não percebia suas investidas, mas reparei que ele começou a acariciar minhas coxas e metendo a mão por baixo até minha bunda (eu estava com as pernas cruzadas). Pouco tempo depois ele me convidou para irmos para uma mesa mais discreta que ficava atrás de um pilar, aceitei e ele pediu outra bebida, tomamos e sem perceber ele se sentou ao meu lado no estofado e me abraçou e foi logo querendo me beijar, recusei, mas ele era bem forte e me segurou o rosto e me deu um beijo passando sua língua pela minha boca inteira, senti um arrepio enorme e me deixei entregar a ele, ao mesmo tempo que acaricia minhas coxas ele dizia palavras que não entendia direito. Então ele pegou minha mão e a levou até seu pau que, a essa altura estava uma pedra e muito volumoso, acariciei por cima da sua calça, mas ele não se contentou e abriu o zíper e me mandou pegar, senti maior ainda, com muitas veias, latejante, quente, acariciei demoradamente e ele sempre me beijando na boca e acariciando minhas coxas, passando sua mão nas minhas tetas, apertando os mamilos, arrancando arrepios na minha coluna. Ficamos assim um longo tempo até que ele me disse que iríamos para um quarto no andar de cima, eu disse que estava bem tonto e ele me ajudou a caminhar até lá. Chegamos no quarto ele me jogou na cama, tirou minha camisa e calça e abaixou minha cueca, me deixando totalmente pelado. Tirou sua roupa e ficou no lado da cama, me mandou sentar e chupar seu pau eu não obedeci porque estava tonto e ele me deu um tapa na cara e ordenou que chupasse. Então obedeci e comecei a chupar o saco, colocando uma bola na boca, depois a outra e fui subindo o mastro, dando pequenas mordiscadas, ele gemia, cheguei a glade e lambi bem aquela pistola. Quando cheguei a cabeçona, estava muito quente, passei a língua em volta e coloquei demoradamente na boca, ele se arrepiou todo e deu um gemido, chupei muito aquele caralho gostoso até que senti um liquido quente e denso melar toda minha boca, em abundância, era o melzinho que está sendo largado pelo tesão dele. Ele pegou seu pau e esfregou em toda minha cara, me lambuzando todo, continuei chupando muito. Depois de um tempo ele me jogou na cama e me colocou de bruços, colocou uma almofada em baixo mantendo minha bundinha bem empinada, montou a cavalo sobre mim, abriu minhas nádegas e pincelou na portinha, colocou seu pau na entradinha, se deitou nas minhas costas, me amassando contra a cama (ele era bem gordo), segurou meus braços sobre minha cabeça, pressionou minhas pernas com as suas e estocou devagar, dei um grito, mas ele abafou contra o travesseiro e me mandou ficar quieto, forçando novamente, tentei escapar, mas a almofada me mantinha com a bunda empinada, e o peso dele não deixava me mexer e ele me disse ao ouvido que não adiantava eu reclamar, ele iria me comer de qualquer jeito e estocou com mais força e continuamente, com muita dor, senti meu cuzinho arregaçar e a cabeça da piça entrar, ele parou um pouco e manteve assim, beijando no meu ouvido e me chamando de putinha gostosa. Em seguida pressionou mais ainda e comecei a chorar de dor (seu pau era muito grosso) sentia meu cuzinho sendo arrombado e não conseguia evitar e nem me mexer, ele impetuosamente socava continuamente, seu pau era enorme e parecia não ter fim, já sentia dor nos intestinos e aquele brutamontes continuava empurrando, pedi desesperadamente para ele parar e tirar porque estava me arrebentando, mas ele só gemia e me dizia que ainda não tinha socado tudo e continuou. Já estava quase desmaiando quando senti seu saco bater na minha bunda e seus pentelhos duros como arames me roçarem o rego, seu pau parecia que estava empurrando meus intestinos, ele gemia alto e manteve tudo socado dentro de mim, ficando assim durante alguns longos minutos. Depois foi retirando, fiquei feliz por alguns instantes, ele tirou quase tudo e começou a socar novamente, agora num vai-e-vem continuo, o tesão dele era tanto que gemia e babava no meu pescoço, a foda ritmada fazia um barulhinho e ele socava com força, depois ele abriu minhas pernas e ficou no meio o que me deu mais dor ainda e ele socava sem parar, ora socando tudo até as bolas e ficando parado no fundo, ora retirava tudo e metia de novo, ficamos assim muito tempo e aquele animal não gozava. Eu chorava e ele dizia que era assim mesmo que as menininhas faziam, me fodendo sem parar. Tempos depois ele deu um gemido forte, urrou e senti seu pau inchar e latejar muito, ele socou tudo com força até as bolas e despejou toda a porra dentro de mim, eu contei 8 jatos muito fortes, densos, quentes e quando terminou ele ficou com seu pau no fundo, dando pequenos espasmos. Ficou assim um tempo e senti seu caralho diminuir um pouco, mas seu peso aumentou muito, porque ele foi relaxando e largando o peso sobre mim. Pedi que saísse de cima porque estava muito pesado, ele então juntou minhas pernas novamente e foi retirando seu cacete e quando saiu todo, uma enorme quantidade de leite quente e denso escorreu do meu cuzinho, derramou pelas pernas melando tudo. Ele esfregou eu pau na minha bunda e se deitou ao meu lado, me chamando de putinha gostosa e que queria me comer mais ainda. Depois dessa foda, ele me comeu mais duas vezes naquela noite, mas isso conto em outro texto.

Fiz meu namorado de escravo

Oi pessoal, esse é meu primeiro conto e espero que gostem. Meu nome é Gabi tenho 17 aninhos, tenho 1,72 sou morena com peitos médios e com uma bunda bem redondinha, tenho coxas muito grossas.. Resumindo sou bem cavalona.

Fudendo chamei meu marido por outro nome

Olá, tudo bem? Eu me chamo Michelle e quero primeiramente comentar sobre quem eu sou. A muito tempo não era tão conhecida como hoje, mas algo que não é tão conhecido são os meus desejos um tanto “diferentes” que ocorrem nas famílias tradicionais brasileiras. Eu gosto muito dos ideiais que eu e meu marido – Jair – temos, e levamos adiante, mas algumas vezes acredito que é importante “apimentar” a relação, sair da mesmice.

Dando gostoso para um desconhecido

Como sempre estava como uma cadela no cio, doidinha para dá. Entrei num site, desses que as pessoas se oferecem para sexo casual. Li alguns anúncios e me interessei por um, mandei mensagem e logo fui correspondida. Começamos a conversar virtualmente. O nome dele é César, tem 1,80, é branco, porte atlético, pau médio, casado e é motorista de um aplicativo.

Proposta indecente cunhada real

Não sou experiênte em contos, vou contar um fato real, talvez você goste. Me chamo João, moreno alto sou casado 7 anos, sem filhos, minha mulher tem uma irmã mais velha, Marta branca alta cabelos longos e preto, bonita de corpo e rosto, falsa magra, casada com Erick branco baixo, eles tem dois filhos, um casal.

Minha Esposa Assediada…, e ela gostou

Primeiramente, descreverei minha esposa, 38 anos, Negra, 1,80m, pernas longas e torneadas, seios médios, bunda redondinha, cabelo ondulado na altura dos ombros no momento, adora usar vestidos e salto alto para trabalhar, numa dessas idas e vindas como ela vai ao trabalho de ônibus, impossível alguém não a notar, e tão pouco deseja-la, certo de que ela desperta vários olhares por onde passa.

Fui comida no apagão por um mulato gostoso

Eu sou gamada em sexo oral, é algo que mexe com meu corpo, sinto um tesão enorme em chupar um pau e fazer um homem gemer e delirar com minha língua, aprendi, depois de muito pesquisar e ver filmes a fazer garganta profunda, amo sentir os jatos de leite quente na boca e me lambuzar todinha.

Esposinha Insaciável I

Celene tinha se apaixonado por outro homem enquanto estava casada com Valter. Depois de muitas brigas e oposição de ambas as famílias, as duas contra Celene, eles se divorciaram e ela pode finalmente se unir a Lauro Torinho.

O irmão do meu amigo

Me chamo Flávio, tenho 35 anos e o que narro agora aconteceu em 2003. Na época eu tinha 19 anos. Esta estória aconteceu comigo, foi um dos dias mais marcantes da minha vida. Me lembro como se fosse ontem.

Na fazenda com o primo roludo

Era um fim de semana com aquele friozinho gostoso de junho, e a família resolveu visitar os parentes do ES. É sempre a melhor reunião de família,mas dessa vez a viagem não foi só boa, foi prazerosa, no melhor sentido da palavra.

Até que enfim corno

Oa pessoal me chamo Zé Carlos e tenho 40 anos, sou casada com Ana ela tem 27 anos morena seios fartos, bunda grande,linda. Somos casados a 8 anos desde o início sempre deixei claro pra ela que minha maior fantasia seria vê lá com outros homens na nossa cama, ela nunca levou a sério sempre que estamos transando eu falo coisas loucas, sobre seus ex sobre ela estar dando pra outros mas ela sempre foi muito firme e não aceita.