abusando da sobrinha

Minha primeira transa fora do casamento

ola meu nome e marcia tenho38 anos casada a 20 anos e tenho duas filhas meu marido tem 50 anos e um otimo marido muito atencioso e carinhoso o fato e que e tambem muito mulherengo coisa que fiquei sabendo a pouco tempo. eu sempre fui uma mulher reservada nao era de sair de casa pra nada sem o meu marido sempre ia acompanhada dele para todos os lugares fazer compras ir ao chop enfim nunca saia sosinha sou morena 1,70m 68 kilos sintura fina bunda redondinha cochas grossas peitinhos firmes nen grandes e nem piquenos ate as minhas vizinhas me chamao de gostosa dizen que a idade nao me afetou em nada que pareço ter 20 anos mais isso nao bastou para que meu marido procurace uma outra mulher ele e um empresario de muito susseso e viaja muito muitas das vezes para o estrangeiro numa certa viagem ele tinha ido para o iraque e eu tive que ligar para o hotel para imformar a ele que o meu carro tinha cido roubado e eu nao sabia qual era a seguradora que eu tinha que comunicar foi ai que eu descobri que ele me traia quando ele atendeu o telefone e nos conversamos eu escutei uma pessoa falando com ele e quando ele desligou o telefone nao percebeu que o gancho ficou fora do telefone e ai eu pude escutar que ele estava transando com sua amante e pra minha surpresa era uma antiga secretaria dele que ele tinha despedido falando pra min que ela era muito desligada e nao fazia nada direito na hora percebi que ele me enganava a muito tempo fiquei louca de raiva pois tinha dedicado minha vida toda para ele na hora pençei em separaçao mais tepois de um tempo pençando achei melhor pagar com a mesma moeda mais seria dificil pois ele dinha cido meu primeiro homen e eu nao tinha nem ideia de como fazer aquilo trair meu marido seria um desafio mais eu estava decidaa colocar um par de chivres na cabeça dele afinal chumbo trocado nao doi no dia seguinte recebi uma ligaçao da seguradora que aviam encontrado o meu carro e que o guincho ia levar ate minha casa e eu teria que ficar esperando mais nao souberam me dizer a hora certa que iam chegar ja fiquei com raiva eu tinha a indençao de sair e ver se eu arumase uma transa com alguem foi ai que ouvi a campainha quando eu vi o guincho pencei e agora vou receber o carro e logo estou de saida abri o portao e mandei que ele entrace mais o motorista nao percebeu que o trilho do portao era baixo e entrou na hora que eu vi ja nao tinha jeito a parte de cima do caminhao ficou presa no trilho e o caminhao nao tinha como sair nessa hora eu fiquei puta da vida agora nao tinha mais jeito de sair e deixar a casa aberta daquele geito o motorista ligou para sua empresa e imformou o acontecido e veio ate min e falou que eles iriam mandar um mecanico para desmontar a parte do caminhao que estava presa nessa hora eu pencei ja era vou ter que deixar pra amanham e entrei para dentro de casa algumas horas depois o motorista me chamou e dise que o mecanico ja tinha chegado e que ele iria embora pois seu horario ja havia exedido muito mas que o mecanico iria deichar dudo arumado na hora que eu vi o mecanico nao acreditei nos eramos conhecidos de infancia ele logo foi me reconhecendo e dizendo e marcia o tempo nao teve efeito sobre voce ainda se parece com a mesma marcia que eu vi a 20 anos atras eu com um sorriso de contente respondi e rodrigo e voce cada ves mais mentiroso rodrigo e um mulato alto corpo atletico muito simpatico que morava em meu bairro na minha infancia na epoca namorava com minha amiga elaine e ela me falava das aventuras sexuais dos dois e tambem que rodrigo era equipado com uma rola enorme nessa hora me veio na cabeça que eu podia tirar proveito da situaçao ele foi rapido e arrumou tudo quando eu menos esperava ele ja estava pronto para ir embora ele pediu para que eu assinace uma guia e colocase a hora que ele tinha terminado o serviço eui parei e falei se eu assinar agora voce vai ter que ir embora? ele respondeu que sim eu falei entao eu assino depois quero que voce conheça a minha casa ele logo intendeu qual era a minha intençao pois eu tinha trocado de roupa e estava com um vestido muito curtinho quando ele entrou foi logo me perguntando sobre meu marido eu respondi que nao presisava ficar com medo que ele estava viajando e nao ia chegar nem ele nem ninguem ofereci uma bebida mais ele dise que nao bebia pois bebidas fasiam mal para a saude foi ai que eu falei e voce esta com a saude toda ne rodrigo corpo sarado ele com um sorriso safado respondeu e voce toda gostosa ai nesse vistidinho quando voce foi casar eu avisei nao casa com esse cara ele nao da conta de voce mais voce nao acreditou eu falei e quen dise que ele nao da conta ele e tao tarado que agora esta com outra e ela e bem mais nova que eu e voce que nao ta com nada me vendo assim toda fogosa e nao faz nada ele nao esperou nem eu fechar a boca e ja veio me beijando e disse e isso que voce quer entao vai ter que aquentar eu numca tinha sentido aquilo minhas pernas tremian e minha buceta parecia um vulcao ele foi me beijando doda meus peitos pareciam ter doce de tanto que ele chupava foi ai que ele tirou a rola pra fora e me colocou de joelhos diante daquele mastro eu nunca tinha visto uma coisa tao grande e grossa na minha vida meu marido tinha um pau de 16 cm o rodrigo devia der ums 28cm eu segurava com as duas maos e ainda sobrava rola pra eu chupar foi quando o rodrigo me pegou e me virou de cabeça para baixo e começou a chupar a minha boceta e mandava eu chupar a sua rola aquilo me deixou doida uma rola daquelas e uma lingua enfiando na minha buceta e no meu cu rapidamente eu gosei como nunca ai ele me colocou de 4 e começou a me penetrar nao foi dificil pois estava muito lubrificada ele foi colocando aquela rola enorme e quanto mais entrava mais tinha pra entrar eu fui tomada por um fogo que mi deixo com tanto tesao que eu joguei ele no chao e subi em cima daquele mastro e como louca cavalquei ate que ele me enchese com seu leitinho quente desmontei em cima dele que ficou abismado com tanta vontade de trepar que eu estava contei para ele o porque e ele me disse que iria me ajudar com a minha vingança eu falei com ele que nao queria um amante eu queria era so umas transas ele me me falou que ia me colocar no mundo das transas mais que primeiro queria comer meu rabinho eu assinei a guia e ele foi embora deixando seu numero de telefone comigo para marcar uma foda na qual meu rabinho ia conhecer uma rola!! mais isso voces vao saber no prossimo conto! um beijo ate mais

Ajudando a melhor amiga a ter um orgasmo

Esses dias estava a lembrar de algumas aventuras sexuais que tive nos tempos de colégio. Infelizmente, comecei no mundo do sexo muito cedo, diversos arrependimentos, algumas consequências e muita história pra contar.

Do carro ao motel

Um dia desses, estava saindo para ir dar umas voltas, para amenizar a cabeça.

Chantageado Pela Sobrinha Patricinha

Conforme prometido, segue mais um relato com Juliana, a sobrinha Patricinha que me seduziu, depois daquele dia ela ficou viciada em rola do titio, fizemos algumas loucuras, mais por fim paramos aquilo ante que desse merda,(pelo menos eu achei que paramos).

Realizado a fantasia do marido

Esta é uma história que relutei bastante para ocorrer, por ciúme de me apresentar e similarmente por ciúme de analisar o novo. Porém admitido que eu e meu companheiro adoramos o resultado da experiência. Somos um casal, ainda que casados a pouco tempo, que estamos procurando apimentar mais nossa relacionamento. Nos amos e somos bastante parceiro um do outro.

Fui passivo junto com a minha mulher

que eu assistia antes perderam a graça, que rola. Meu amigo leitor vc deve estar se perguntando , ela dava a bundinha, fazia sexo anal? Amigo, acredite fazia. Quando ele pegava minha esposa de 4 e lhe segurava pela cintura para ela não escapar e metia tanto nela, mas tanto, era um ritmo frenético, constante, e não parava era coisa de louco, que coisa era aquela, minha esposa como gozava varias vezes ficava exausta era quando ele chupava o cuzinho de minha querida esposa, abria a bundinha dela com as mãos, e passava a língua lá dentro cuzinho dela, lambuzava todo o cuzinho, e a safada rebolava ainda, eu finava filmando tudo, como ele começa a penetrava, minha esposa voltava a gemer , era uma senhora rola, quando eu enfia a cabeça de seu pau ela gritava e dizia: – você me arrombar seu puto, então arromba este vai Coitada ele só tinha colocado a cabeça e conforme e ia colocando aquela rola grossa cumprida, minha esposa gritava e gemia, e me dizia para cuspir no cuzinho dela para entra mais fácil, chegava a tirar a rola para fora varias vezes, para eu cuspir porque não entrava, era um processo lento e demorado, mas tinha a noite toda ou oq sobrou dela, minha sempre gemendo muuito como uma louca, e quando eu conseguia colocar tudo aquela rola dentro do cuzinho de minha esposa ela ficava rebolando, e forçando a bundinha dela naquela rola enorme, e gritava dizendo eu vou gozar, eu vou gozar, nossa era muito bom, até que fiquei inculcado isso, tbém como essa agüenta isso, e sente prazer, chegar até gozar pelo cú, não sei se isso é possível. O tempo foi passando, e eu cada vez mais intrigado, até que passei a bater uma punheta para ele na boquinha dela, não tinha problemas todos os meses exames e mais exames, e ela adora engolir aquela porra e eu adorava ver tudo isso, até que gostei de bater uma pra ele gozar na boca dela. Numa certa noite minha esposa muito louca e exausta de tanto meter, olhou para este amigo e falou mete nele, se referindo a mim, fiquei espantado, não gostei da idéia, era muita rola para mim, mas tudo bem, meio com receio deixei, quando ele foi colocar aquela rolona no cuzinho virgem na cabia de a cabeça, minha esposa forçou a entrada e foi quando eu gritei. Muita dor. Aquela noite acabou ali, mas fiquei com aquilo na cabeça, pensativo e como nos encontrávamos constante e vendo minha esposa sentir muito prazer comecei a sentir desejo, se ela gosta tanto é pq deve ser bom. Mas tinha o trauma da primeira tentativa. Uma vez entra na net, e ele estava on line, fiquei conversando com ele sobre a minha esposa, e foi quando ele me relatou que tinha o desejo de estar comigo, ou seja, de comer o cuzinho virgem, fiquei espantado, procurei não dá importância, mas foi quando ele me disse que quando fosse comer o meu cuzinho queria que eu estivesse de calcinha vermelha e bem sexy, foi para acabar, pensei comigo, que cara presunçoso, só pq come minha mulher quer a mim tbém, logo encerrei conversa e sair do MSN. Não pensei nisso, por muito tempo, e nem falei para minha esposa, mas continuamos a nos encontrar, e ele como sempre comia muito a minha esposa e cada vez mais pensativo, como ela gosta tanto dessa rola, e como ela agüenta tudo isso, pensava comigo. Como trabalho com representação comercial, encontrei esse nosso amigo no centro da cidade, estava muito descontraído, pouco serviço, era sexta-feira, fomos a lanchonete tomar um shop, estava muito sol, aquela conversa no MSN não saia do me pensamento, foi quando eu olhei para as calças dele e volume que estava, ele estava excitado e eu tbém. Quando percebi isso, me despedir e fui para casa. Pouco tempo, cansado de ficar pensando e imaginando, vivendo com os meus medos e anseios, resolvi tentar dá o cuzinho para ele mais uma vez, mas sem a minha esposa por perto e foi quando eu entrei na net no mesmo horário que encontrei ele da outra vez e novamente me confirmou que tinha o maior desejo por mim, e que seria paciente comigo, e eu resolvi mar um encontro com ele sem minha esposa saber durante o dia, mas me garantiu que não iria rola nada se eu não tivesse a vontade, e me exigiu que eu usar-se calcinha. Fiquei apreensivo, mas resolvi topar, marcamos em uma lanchonete em uma grande supermercado, eu como tinha vontade e já que topei ir ao encontro, fui usando a calcinha. No encontro muita descontração e eu sempre olha para as calças dele, foi até que ele percebeu e me disse se eu estava receoso, disse que sim, e perguntou se eu gostosa de bater uma pára ele e novamente disse que, ele disse para mim se levantar e ir ao banheiro masculino do mercado e logo iria atrás, eu obedeci e fui e veio atrás de mim, quando chegou no banheiro ele me empurrou fechou a porta, abaixo a tampa do vaso e mandou eu sentar na tampa e eu sentei, ele ficou de frente para mim abriu o zíper e mostrou aquela rola enorme , não estava totalmente dura, mas ainda assim era muito grande, na ora e peguei aquilo tudo e coloquei a boca e comecei a chupar, aquela rola enorme foi crescendo dentro da minha boca e eu engasguei e foi quando ele me mandou eu ficar quieto, nos sairmos dali e formos para um motel. Ele não sabia que eu estava de calcinha, quando chegamos ao motel, eu estava tremendo de receio mais com muito tesão, que rola gostosa, nos ficamos de frente para cama e um de frente para o outro e foi eu peguei no seu zíper e coloquei aquela rola para fora me ajoelhei e comei a chupar sem receio não tinha ninguém ali só nós, eu chupava em cima e embaixo, comecei a passar o dentinho no penis como alguém que vai moder e delirava, mas foi quando eu comecei a beijar a cabeça daquele pau e logo depois chupar suas bolas eu sentir suas mãos em minha cabeça me fazendo um carrinho e ele gemia cada vez mais alto, agora era ele que gemia e não minha esposa fui ganhando confiança e chupando cada vez mais, até que pegou minhas me levantou me empurrou na cama, eu cair de bruços, ele ergueu minha cintura e desabotoou minha calça e foi nessa hora que viu que eu estava de calcinha, ele ficou mais louco de tesão, aí ele tirou a calcinha e eu de 4 abriu minha bundinha como faz com a minha esposa e enfiou a língua lá dentro, estranhei na hora mas aquela língua tão molhada dentro do meu cuzinho, comecei a gostar, até que ele se levantou e ficou em pé na beirada da cama e me puxou com as mão colocou o preservativo e brincando meu cuzinho, e foi quando entrou a cabeçona daquele pau enorme eu gritei, se minha esposa pode gritar pq eu não posso, nesse momento ele tirou aquele pau grande, arrancou a camisinha cuspiu na cabeça e tentou novamente, foi colocando aos poucos, eu fui sentindo aquele pau enorme me invadir, parecia que iria rasgar meu cuzinho, ele percebeu que não estava agüentando, deitou sobre minha costas e falou aos meu ouvindo, “se acalma eu não vu te machucar, vc será a minha betinha a partir de hoje” aquelas me acariciando as costas, aquela respiração forte no meu ouvindo, suas mão firmes me segurando a cintura, lembrei de minha esposa, e como ela sentia prazer, nesta hora a rola enorme já tinha entrado a metade dentro de mim, eu sentir aquele volume abrindo meu cuzinho, meu cuzinho contraindo aquela rola, eu sentia a temperatura daquela rola enorme dentro de mim, ou seja, eu sentia a temperatura do corpo dele dentro de mim, ele estava dentro de mim, me invadido, aquela respiração forte, e ele começou a gemer muito muito, muito mesmo, pois meu cuzinho estava apertando aquela rolona, eu sentir tanto tesão que neste momento não havia dor e nem nada, o tesão que sentia foi tão grande que comecei a rebolar e contrair minha bundinha contra aquela rola enorme, igualzinho como minha esposa fazia, até que aquela enorme relo entrou toda dentro de mim, fiquei enlouquecido de tesão, e ele começou a meter tanto aquela rola no meu cú, foi hilário, depois de 20 minutos, gritou dizendo que iria gozar, tirou a rola correndo do meu cuzinho, gozando , metade gozou dentro do meu cú, outra parte gozou na beira do meu cuzinho e na minha bundinha, foi muito bom. Ele se debruçou em cima de mim, e então dorm
irmos de de calcinha, que coisa maravilhosa. Quando acordei já estava na hora de voltar para casa, ele ainda estava dormindo atrás de e me puxava contraindo-me no corpo no dele. Minha mudou depois disso. Tudo mudou. Hoje sou casado com a minha esposa, nos encontramos com ele constante, só que agora ele saia os desejos dos dois, eu e minha esposa, somos suas fêmeas, claro isso demorou alguns meses, fiquei 4 meses me encontrando com ele sem minha mulher saber, depois conto com ela descobrir e como somos felizes juntos, vivo muito bem com a minha mulher, sou seu marido, mas quando nosso amigo esta com nós, eu sou sua mulher e comi a mim e minha esposa juntamente, isso é melhor que troca de casais, melhor que tudo, é obvio que tem que ser com um cara legal e de confiança, mas é muito bom, vale a pena e se alguém tem duvidas, que experimentar esta experiência eu tive seja vc homem ou casal, entre em contato, em breve colo outras experiências, mas adianto sobre este amigo não falo nada, porque ele é nosso.

Troca troca com o ex cunhado

Meu nome é Bruno e essa história aconteceu ano passado. Eu tinha 17 anos. Minha irmã na época tinha 15 e namorava com um cara de 15, o Fernando. Eu ia passar o dia fora de casa, mas minha aula do cursinho a tarde tinha sido cancelada porque o professor ficou doente. Voltei pra casa por volta das 14h e tava tudo silencioso. Vi a porta do quarto da minha irmã entre aberta e resolvi entrar pra ver se ela tava em casa. Quando entrei, vi meu ex-cunhado dentro do banheiro cheirando uma calcinha da minha irmã.

Comendo Advogada Safada no Carro

Boa noite meus amigos, vou relatar o que acabou de acontecer comigo bom não vou entrar em detalhes sobre o meu físico e da minha advogada gostosa.. podem ver no primeiro conto..

Enrabada pelo pedreiro

Olá bom dia! me chamo Joyce, e moro em minas gerais, bh, meu pai contratou um pedreiro para arrumar a casa, quando chego da escola, fui trocar de roupa e esqueci a janela aberta, quando percebi ele estava me espionando pela janela, fingi ( maliciosamente) que nada estava acontecendo, e deixei meus seios a mostra. eu estava com 16 anos e cheia de hormonios. eu vesti-me e saí para fora fingi que fui até a caixa de correios pegar cartas, só para ver a reação dele, cumprimentei-o e fingi que nada estava acontecendo, kkkk adorei isso, deu vontade de me insinuar para ele de novo. tive uma idéia, fui para dentro e vesti meu babydol de dormi de seda e deixei o ver.

Punheta com 2 amigos na laje

Meu nome e roger e isso aconteceu quando tinha meus 14 anos com 2 amigos, estavamos na casa do meu amigo bruno, eu e mais um amigo, bruno estava no computador e eu e esse amigo no quarto com ele, entao decidimos descer na laje que estava em reforma, e quando chegamos na laje comecamos a bater uma, eu ja cheio de tesao comecei a olhar o pau do bruno, o pau dele nao era muito grosso mas tinha uma cabeca grande e roxa nossa aqui me deu um tesao, entao olhei pro pau do meu outro amigo e la estava ele com seu pau moreno grande batendo uma, ai o bruno e meu amigo disse que iria gozar e eu doido pra ve, o bruno deu uma gozada perto da janela aquele gostoso, o meu outro amigo disse pra mim que precisaria de uma forca pra gozar entao ele disse que se eu ficasse de 4 e mostrasse o cuzinho pra ele ai ele gozava, eu como tava querendo muito ver a porra dele jorrar eu aceitei, abaixei meu shorts e com as 2 maos abri as bandas do meu rabinho e mostrei pra ele, ai ele pediu pra dar uma encostada na meu cuzinho pra ele sentir, eu com um tesao imenso deixei e claro, entao ele encostou e ja tirou e deu uma gozada bem cremosa, fiquei com vontade de mamar ele mais nao podia contar nenhum deles sabe que eu queria dar pra eles e ainda quero, espero que um dia se um de voces verem esse conto voces vao saber que sou eu, entao por favor me coloquem pra mamar e fode meu rabo bem forte, quero mamar no pau do bruno ate ele gozar na minha boca e o outro quero ele me fudendo de 4 como ele disse que faria varias vezes na brincadeira. mas meu sonho e que essa brincadeira vire realidade, entao se visualizar esse post vem aqui em casa saca do pau e manda eu mamar gostoso que eu caio de boca, mas antes me avisa que vai ficar no sigilo que sempre tera um boquete disponivel e um cuzinho tambem. esse foi meu conto espero que voces tenham gostado e comentem. bjos seus safados

Transando com a amiga lésbica na festa

Oiiiii tudo bem? Vou contar essa história mega erótica que aconteceu comigo, Era a festa de uma amiga nossa, estava tudo bem animado, todos nossos amigos e tudo mais.

Estuprada no Metro

Naquele dia seguinte eu fui despertada com a Jeny alisando minhas coxas e tocando de leve minha xana….. Abri os olhos. Ela me trouxe meu café da manhã. Depois do meu desjejum, eu tomei um banho rápido e ela voltou para o meu quarto. Jenny havia passado a ser tudo na minha vida, menos empregada. Virou amante, conselheira, melhor amiga, dama de companhia, mas acima de tudo…. “personal stylist”. Ela fazia questão que eu usasse as roupinhas mais provocantes quando eu ia para o trabalho. Adorava que eu me exibisse, me obrigando a usar saias cada vez mais curtas e blusas cada vez mais decotadas. E sempre de meias e sapatos altos. Eu me sentia exposta desde o momento em que saía de casa até a hora de voltar. Todo mundo na rua virando a cabeça para ver aquela mulher vestida de maneira extravagante indo para o trabalho; ouvindo todo tipo de piada até as mais grosseiras. Eu sentia um medo horrível de ser abusada por algum homem ou até de apanhar de alguma esposa ciumenta. Acho que ela ficava numa excitação meio louca de me imaginar correndo perigo pelas ruas ou fugindo de algum tarado. E eui confesso que eu também sentia um tesão irresisitível de me vestir assim. Eu sabia que era desejada por todos por onde passasse. Então, enquanto eu terminava de me enxugar, a Jeny tira um par de meias pretas da gaveta e as joga sobre a cama. – Voce não vai colocar em mim, Jeny? Perguntei. — Não princesa. Dessa vez eu quero ver voce colocar. Ela respondeu Eu então me sentei sobre a cama e peguei a meia que ela me deu e pus eu mesma, enquanto olhava para ela de um jeitinho bem safado, puxando a meia devagar desde a ponta do pézinho até o alto das minhas coxas gostosas. Percebi como ela me olhava de volta enquanto eu acariciava deliciosamente minhas pernas. Depois eu fiquei deitada de costas sobre a cama, fazendo poses sexys para provoca-la, me alisando e esfregando minhas pernocas metidas naquelas meias pretas. Então a Jeny abre a porta do closet e de lá ela tira um par de botas pretas, bem altas, de couro macio, bico fino e salto agulha que iam até um acima do joelho e se sentou junto de mim. Então ela pegou no meu pézinho e beijou ele para me calçar com aquelas botas, subindo o zíper e alisando as minhas pernas vestidas com as meias 7/8. Nossa! Como aquelas botas casavam com as minhas pernas e ainda conseguiam valorizar cada curva dos meus pés. Depois ela catou um corselete tomara-que-caia de cotton branco com um ziper na frente. Era uma decisão ousada, porque às vezes ele caía mesmo e se bobeasse deixava aparecer os biquinhos rosados dos meus peitos. Fiquei a me observar enquanto ela me vestia na frente do espelho. Estava extremamente gostosa só de botas, meias e de corselete. A Jeny também deve ter achado, porque ela me abraçou por trás e meteu a mão entre as minhas coxas, bolinando a minha xana. Me encolhi em seus braços e apertei minhas pernas enquanto ela me tocava. Em seguida a Jeny vasculhou todo meu armario ate encontrar uma mini de couro marrom bem curta que eu tenho e vestiu em mim. Ela fica acima do joelho, no meio das coxas. É bem elegante pra falar a verdade, mas as barras de renda das meias estavam quase aparecendo. Pensei como meus colegas reagiriam quando me vissem vestida daquele jeito. Aí eu falei com ela: — Jeny! Olha isso! — Deixa de ser boba, foi o que ela respondeu. Você esta um tesao! — Mas Jeny! — Eu quero que voce vá assim para o trabalho. E riu. Aposto que voce nunca foi mulher para andar assim… Quero só ver se essa sua chefe não vai te agarrar de uma vez quando te ver! Sorri… Verdade. Sentia-me mais mulher do que nunca! Fiz uma bela maquiagem e saí e enquanto andava pelas ruas, fazia tudo para chamar a atenção. Caminhava requebrando levemente as cadeiras e sabia que todos os olhares eram para mim. Dos homens, da mais pura volúpia, e das mulheres, da mais pura inveja! Parei na estação do metro, e enquanto eu esperava de pé, na plataforma, eu juntava meus pés calçados por aquelas botas fantasticas e punha-me a esfregar meus joelhos, só pra provocar e sentir a maciez das meias 7/8 que eu usava. Sentia-me extremamente sexy, mas ao mesmo tempo exposta e vulnerável, imaginando como seria se alguem abusasse de mim dentro do metro lotado. Isso eu saberia mais tarde antes de voltar para casa… Já quase no final do expediente, quando eu estava retocando a maquiagem para sair, a megera da Beatriz me chama na sala dela para pedir que eu levasse uns balancetes da empresa para o nosso contador. Ela era terrível. Vivia implicando com as minhas roupas e pegava no meu pé por qualquer motivo. Adorava me por para trabalhar feito uma louca e me botar correndo para cima e para baixo nos corredores do firma. Só que o escritório do puto ficava na Pavuna! Falei com a criatura que aquilo era impossível. Mas aí ela disse que o contador tinha que levar aqueles documentos para a Receita Federal no dia seguinte de manha cedo, se não a firma seria multada em sei lá quantos mil reais, que aquilo podia comprometer a saúde financeira da empresa, que a responsabilidade ia toda cair sobre as costas da Adriana… e que a belezinha do motorista não podia ir porque ele foi levar a esposa grávida para fazer um pré-natal. Resultado: sobrou para mim. Isso eu só saberia mais tarde, na volta do trabalho, quando o metrô estava realmente lotado! Eu esperei pelo trem por um longo tempo na estação, cansada, com meus pés doendo dentro das minhas botas altas, me equilibrando num pé e noutro enquanto aguardava… tensa…. Quando a composição chegou ela já estava repleta de gente. Entrei e me posicionei como pude segurando a barra de ferro que fica no alto do vagão com as duas mãos. Havia um rapaz jovem na minha frente que pareceu não me dar atenção, a não ser quando o trem se pos em movimento e meus seios esbarraram nas suas costas. Ele deu uma rápida olhadela para mim mas eu virei meu rosto para o outro lado. E eu reparei que ele ficava me encarando e eu estava realmente incomodada com aquilo, sendo secada daquela maneira por um rapazote que certamente iria se masturbar pensando em mim quando chegasse em casa. Na próxima estação entrou mais gente no vagão que ja estava apinhado. Nisso eu me senti sendo empurrada de encontro ao rapaz de um modo que eu não pude evitar e fiquei realmente imprensada entre ele e um homem que ficou bem atrás de mim de modo que eu mal podia ver seu rosto. O trem pos-se novamente em movimento e dessa vez eu é que fui esbarrada pelo sujeito que estava atrás de mim tão colado. Foi aí que eu senti o volume da sua pica dura pressionar a minha bunda por cima da minha saia curta, e o balanço do trem fazia aquele volume se esfregar nela. O que é isso?… Pensei na Cida. Será que ela estava acostumada com isso? Até que era gostoso. Nunca passei por isso antes. Então eu resolvi provocar o cara um pouco e empinei meu bumbunzinho me oferecendo para ele… Aposto que ele nunca chegou perto de uma mulherzinha como eu, toda saradinha, gata de academia… Comecei a sentir sua respiração no meu pescocinho. Aquilo me deixou arrepiada. Meu instinto de mulher dizia que eu era intensamente desejada. Sorri comigo mesma. Mas aí, o sujeito resolveu levantar a minha saia e colocar a pica dura entre as minhas nádegas durinhas, fazendo um sanduiche de lingüiça com elas. Levei um susto danado e um suspiro abafado soltou-se da minha boca. Tentei sair dali, mas era impossível. Eu não tinha para onde ir. Aí e senti a mão daquele homem alisando as minhas coxas e expondo as barras de minhas meias 7/8 enquanto ele pressionava a piroca na minha bundinha. Minhas pernas ficaram todas de fora, cobertas só pelas meias. Tirei as mãos da barra de ferro para tentar baixar minha saia, mas eu acabei perdendo o equilíbrio com o trem em movimento e tive que me apoiar no rapaz que estava na minha frente. Ai! Falei para o sujeito: — Voce quer me largar! Olhei em volta em busca de socorro mas todos os olhares se desviavam do meu. Em seguida o sujeito baixou a minha calcinh
a e enfiou a pica dura no meio das minhas pernas! Prendi a respiração! Que loucura era aquelaa?!!  Ahhhnnn!!! Que ousadia! Pare com isso! Reclamei E me debatia e fazia de tudo para me livrar dele mas era impossível. E o que era pior, aquilo só aumentou sua excitação! Depois ele começou a lamber meu pescoço e mordiscar minha orelha, sentindo o perfume doce e suave que exalava dos meus ombros nus. — Ahhhhnnn me solteeee, suspirei. E virei o rosto enojada enquanto eu ficava nas pontas dos pés apertando minhas pernas e esfregando minhas meias. Olhei em volta desesperada por socorro, mas reparei que aquele ataque à minha pessoa não passava despercebido pelos outros passageiros. Ao contrário. Todos ali se deliciavam em me ver indefesa diante daquela situação. Uma moça jovem, linda e sofisticada como eu, deliciosamente vestida; de meias 7/8 e botas altas, metida naquele trem e sendo abusada de maneira torpe por um desconhecido! Fiquei morta de vergonha! Não consegui tomar mais nenhuma atitude a não ser tentar baixar ao máximo minha saia para cobrir minhas pernas e sentir a pica imensa daquele homem preenchendo o espaço entre as minhas coxas E ele ficou ali o tempo que quis, apalpando minha bunda e meus seios, me alisando toda enquanto eu tentava tirar suas mãos de cima de mim e rebolava e esfregava minhas pernas em desepero com aquela pica entre elas por váaaaarias estações e quase implorava para ele me deixar: — Me solteee! Pareee! E gemia baixinho, com a boquinha entreaberta: — Ahn! Ahn! Ahn! Ahn! Minha bucetinha estava encharcada e eu estava a ponto de gozar! Até que de repente eu me senti sendo penetrada! Subi na pontinha dos pés e soltei um suspiro: — Aaaahhhhnn!! E joguei minha cabeça para trás. Comecei a gozar assim que eu senti a pica do sujeito entrando dentro de mim, me abrindo toda. Meu corpo todo corcoveava imprensado entre os dois enquanto aquele desconhecido gozava dentro de mim e eu gozava junto com ele e dava gritinhos agudos a cada estocada que eu recebia daquela pica. Depois que ele acabou comigo ele saiu rápido de cena. Não deu nem para ver quem era. Tentei olhar em volta mas o trem parou novamente e um bocado de gente desceu. Fiquei aparvalhada com aquilo mas eu ainda pude ouvir algumas pessoas comentando: Putinha… Teve bem o que mereceu… Ajeitei minha saia e sentei-me no primeiro banco vago que eu vi. Senti uma coisa melada descendo pelas minhas coxas. Nem sei com que cara eu cheguei no escritório do contador. Só sei que eu entreguei rápido a papelada para ele e ele nem me convidou para entrar. Mais tarde quando eu cheguei em casa a Jeny me perguntou:  Então minha tesudinha, como foi sair toda gostosa desse jeito?

Realizando a fantasia no Uber

Me chamo Laudenir e namoro uma mulher 3 anos mais velha que, nesse conto, vou chamar de Leticia. Sempre tivemos um relacionamento leve, sem muitas brigas ou discussões como a maioria dos casais. Acredito que boa parte disso se deve a sermos muito abertos com relação ao sexo e nossos desejos pessoais. Sempre deixamos claro um ao outro o que gostamos, o que queremos e possíveis fantasias para realizarmos juntos, inclusive minha fantasia de um menage com uma mulher que ela ainda não aceita… Ainda. Um de nossos maiores desejos sempre foi nos exibir no

Presente de aniversário

Seu moreno! tenho uma esposa maravilhosa,baixinha bunda grande um cusinho apertadinho e uma buceta linda depiladinha não gosta de se exibir mas gosta de me agradar, gostamos muito de praia o que mais gosto da praia é ver ela de biquíni, para enfiar todo o biquíni em sua bunda e ficar deitada para fazer marquinha e para provocar os homens da praia .Sempre quando transamos eu pergunto se ela topa dar para outro na minha frente,percebo que ela fica mais molhadinha e mete com muita mais vontade e me pede para comer seu cuzinho e gozar dentro,ela topa tudo na cama chupa maravilhosamente bem, Vamos ao que interessa o meu sonho sempre foi de ir a uma casa de swing e ver ela trepando com outro na minha frente,no meu aniversário eu pedi de presente a comemoração em uma casa e ela me deu,ela foi com

Cuzinho grande

Eu me chamo Joel e tenho 52 anos o que vou conta começou em 1972 eu tinha um irmão era coas 8 anos mais velho que eu nos dormia na mesma cama uma noite acordei e meu irmão estava com o mau nas minhas coxas e ele tinha baixado meu calção pra baixo e o pau dele passava no meu saquinho e aquilo começou me da uma cessação esquisita eu não sabia o que era e meu cuzinho começou a pisca eu não sabia o que estava fazendo peguei o pau dele e ele se assusto mais não deu muito tempo e botei na entrada do meu cuzinho e levantei a bundinha e entro fase e ele era bem dotado pra a

Minha Mulher Com Outro Cara

Meu nome é Thiago “nome fictício” sou casado há 8 anos, minha esposa e uma mulher de 1.65cm 64kg branca, olhos puxados, cabelo cacheado, bunda empinada e seios médios durinho ela e tímida e sempre que fazíamos sexo quando namorávamos passava muitos dias pra foder novamente, nós casamos e não temos filhos, logo no início do casamento eu tentei comer o cuzinho dela mas ela negava dizia doer muito, e passamos anos apenas no sexo normal papai mamãe, de quatro as vezes é era lá um erro ela fazia um boquete, com passar do tempo foi despertando em mim um desejo de ver ela

Dando gostoso para 4 sobrinhos no reveillon

Sou Raquel, 41 anos, casada a 6, moreninha clara, peitinhos grandes que gosta uma chupada, cuzinho e buceta assanhados.

Coroa casada do shopping

Olá, como disse no conto anterior desde a adolescência sempre fui apaixonado por coroas, vou relatar uma historia que aconteceu quando eu tinha 26 anos, fui em um shopping com um amigo tomar um chopp, depois de uns 6 chopps, notei que na mesa de frente a que eu estava, havia uma mulher sentada com um homem, sem o homem perceber ela ficava me encarando, e eu entrei nesse jogo, de repente vejo que o homem se levanta e vai no balcão pegar o lanche que eles haviam comprado, nesse momento pedi o telefone dela, ela com medo disse que não dava pra passar, o homem voltou e eles foram embora, para minha surpresa o celular dele ficou em cima da mesa, fui e peguei o celular e continuei tomando meu chopp, pensei que eles voltariam para procurar, o que não aconteceu.

Não resisti e comi minha cunhada

Me chamo Vinicius, tenho 22 anos. Tenho uma cunhada maravilhosamente gostosa, ela tem 38 anos, morena, peitos bem grandes, cintura fina e uma bunda bem gostosa.

Minha prima é a melhor

Numa pequena cidade no interior da Bahia e dezembro férias de fim de ano minha tia e os filhos meus primos e primas passavam férias escolares lá em casa.

Antes que o marido aparecesse novamente

Andreza trabalhava comigo na mesma empresa, mas, num outro prédio e tínhamos pouco contato por sermos de setores totalmente diferentes, isto em 2002, e pouco nos encontrávamos fora do trabalho também.

Tive a melhor transa da vida

Tudo começou quando ele me deu aquele sorriso no primeiro dia de trabalho ,foi um sorriso diferente tinha uma mistura de inocência com safadeza ,era um puta sorriso.Nas primeiras conversas já dava pra notar o que ele queria ,mais ele era sempre cuidadoso com o que dizia ,porque sempre havia alguém perto de mais para que ele pudesse usar as palavras que ele realmente queria.

Quem ganha o presente é a namorada

A maioria dos relacionamentos há um fetiche ou uma fantasia escondida, até realizar a primeira vez. Bem, no nosso caso a fantasia maior é o menage masculino.

Chupando o primo safadinho na festa

Certo dia recebemos um convite de festa de casamento de um de nossos primos, e a festa de recepção ia ser na casa de minha tia no interior, praticamente um sítio, e como nem todo mundo ia poder voltar no final da festa (como era nosso caso) e lá era enorme, íamos dormir por lá mesmo.

Cuzinho da mulher do bêbado não tem dono

Era o casamento de Pedro, um amigo que eu não via há alguns meses mesmo tendo trabalhado juntos por quase um ano. A festa já estava no finzinho quando a banda começou a tocar os clássicos do rock internacional, então eu fui para pista curtir o som. Muita gente já tinha ido embora, eu não conhecia quase ninguém além do noivo e de uns dois três amigos em comum, mas quando cheguei na pista de dança, dei de cara com uma mulher que eu já conhecia da academia. Ela dançava com um copo de whisky na mão e parecia estar acompanhada por um dos amigos do noivo os quais eu não conhecia. Fiquei distante acompanhando seus movimentos e observando se ela estava mesmo com aquele cara.