Minha esposa e o entregador

Bem, o que vou relatar aqui aconteceu há uma semana. Trata-se da minha esposa sendo fodida pelo entregador do hortifruti.
Antes do relato propriamente dito tenho q explicar como descobri a traição.
Era um domingo e eu iria sair p trabalhar. Trabalho na praia e minha esposa sempre vai comigo, há um mês atrás ela não quis ir dizendo q estava indisposta e me tratou mal. Um comportamento fora do normal. Desconfiei e coloquei meu celular p gravar áudio. Então saí para trabalhar e só retornei a noitinha. Ela ainda estva de mal humor comigo. Tratei de pegar o celular e ouvir o áudio. Eu estava certo, apesar da TV ligada ao fundo ouvia-se os gemidos da cachorrinha transando. Era pouca evidência para jogar na cara dela.
Então, segui desconfiado e no domingo seguinte ela não quis ir novamente. Contudo, amei uma bela arapuca. Coloquei duas câmeras escondidas e saí. Via Internet eu podia ver td q se passava em casa.
E minha esposa, loira, malhada toda gostosinha ia de um lado p outro na casa arrumando como se fosse receber alguém.
O interfone toca, era o pessoal da portaria anunciando a chegada do entregador de hortifruti. Era um rapaz de uns 20 anos moreno que minha esposa recebeu carinhosamente e deixou o entrar em casa. Assim q ela fechou a porta ele a agarrou por trás e ela correspondeu amolecendo de tesão.
Ele apertava seus peitos durinhos e esfregava o pau na sua bunda durinha. Minha esposinha só de shortinho se virou e abaixou e começou a mamar na pica do moleque que se contorcia de tesão.
Na sequência ela tirou o short e ficou de quatro no sofá. O rapaz n se fez de rogado e enterrou o cacete na buceta dela e socou forte. Minha mulher contorcia e rebolava no pau do garoto que em poucos minutos encheu a vadia de porra.
Ela se abaixou novamente e mamou no pau do cara enquanto tocava uma punhetinha.
Depois desse frenesi o cara vestiu o short e partiu.
Eu assisti minha mulher trepar ao vivo. Confesso que era louco para vê lá dar p outro. Sinto o maior tesão nisso e já havia proposto um ménage.
Assim, que o cara saiu eu rapidamente voltei p casa. Qdo cheguei ela ficou estranha e sem graça.
Não deu tempo dela tomar banho, eu me aproximei dela e comecei a alisar sua bunda, ela enganando etc. Mas cheguei junto ela amoleceu enfiei o dedo na sua buceta cheia de porra do garoto e comecei a beija lá. A vadia se esqueceu da trepada com o garoto e se arreganhou p mim.
Meti a boca na bucetinha dela e senti o gosto da porta do moleque que ainda escorria. Lambuzei minha boca, levantei enfiei o pau na buceta dela e comecei a socar. Depois q ela estava bem solta abeijei com porra na boca e sussurro ao seu ouvido: a porra do seu novinho é uma delícia!
Ela ficou muda estarrecida. Eu disse a ela que vi a trepada toda. Continuei a socar forte e falando sacanagem no ouvido dela que gozou feito louca.
Nesse mesmo dia, convidamos o novinho p ir em casa a noite e nós três fudemos feito loucos. Mas essa é uma história que contarei outro dia.
Abraços