As Amigas da Minha Ex Esposa

Estou de volta pessoal tudo bem com vocês? Espero que sim, antes de tudo peço para que votem e deixem comentários; como vocês já sabem, sou o Cristiano tenho 26 anos, sou moreno 1,82 de altura e 84kg, com físico médio, sou da região metropolitana do Recife-PE, já tenho alguns contos publicados aqui contando a minha história com as amigas da minha esposa, a partir do último conto já sabem que ela não é mais minha esposa, mas ainda assim a vontade de pegar suas amigas continua a mesma.
Se vocês leram meus contos sabem que quando eu conversava com a fabí nas redes sociais também conversava com a Camila, falei naquele conto que relataria a minha história com ela depois, então chegou a hora. A Camila é uma moça de 22 anos, um físico médio pra magra, alta, com bunda e seios médios, assim como também suas pernas, cabelos curtos, geralmente se vestia com calça jeans ou de couro que ficava bem ligada em suas pernas, o que deixava suas pernas
parecerem mais grossas do que eram na verdade, mas ela era uma morena parda linda, e nas nossas conversas já havia me enviado fotos de biquini e sem o sutiã, mas cobrindo os seios com as mãos. Em uma sexta ela me ligou perguntando se eu tinha compromisso naquela noite, e respondi que não, e ela me convidou pra ir à um motel naquela noite, pois estava interessada de provar algo diferente, topei na hora, perguntei que horas eu a pegava, mas ela disse que me encontraria lá, me passou o endereço e nos despedimos. Sabendo que ela era safada assim como a fabi, não podia deixar ela na mão, então dei uma aliviada algumas horas antes.
Assim que cheguei em frente ao motel liguei pra ela, ela falou que eu entrasse no quarto 058, que eu pegasse o passe na portaria pois eles já estavam cientes, ao chegar no quarto estava tocando um funk bem depravado e um cara sentado em uma poltrona próximo a cama, não deu pra ver direito quem era estava meio escuro, me falou pra entrar, entrei meio desconfiado e minha desconfiança só aumentou quando reconheci o cara, era o marido dela, ele me falou pra ter calma que ela havia concordado, disse que ele havia pedido pra ficar com 2 mulheres ai ela disse que tudo bem se ela pudesse ficar com 2 homens então ele havia concordado também.
Quando menos espero a Camila sai do banheiro dançando, rebolando até o chão, e requebrando o seu corpo todo, prontamente foi se esfregando em mim em quanto olhava pro marido, ela vestida com uma fantasia de colegial com uma sainha bem curta e uma blusinha com decote semi aberto apertando seus seios, rapidamente meu pau começou a aumentar o volume na calça, ela percebeu abriu o zíper puxando meu pau e abocanhando ele como se fosse o ultimo pau do mundo, passando a língua de baixo até a cabeça do meu pau, e engolindo ela em quanto batia uma pra mim, fazia tudo isso olhando nos meus olhos com uma cara de putinha e logo olhava pra seu marido que tinha tirado o pau da calça e estava batendo uma sentado na poltrona olhando ela me chupar, ela apalpava meu saco e tentou escorregar pro meu anus, mas falei que não curtia, o marido dela falou pra eu experimentar que era bom, mesmo assim dispensei isso não me da
tesão nenhum, ela começou a bater o meu pau em seu rosto, devagar e depois com mais violência, meu pau estalava no rosto dela, deixando a pele do rosto dela avermelhada com as batidas do meu pau, aí ela começou a engolir meu pau todo, logo ela começou a engasgar e segurar meu pau lá dentro da sua garganta, ela babava todo meu pau, joguei ela na cama tirei a minha calça subi em cima dela abrindo a sua blusa com violência, ela entendeu apertou seus peitos um contra o outro e eu meti meu pau entre seus seios, ela apertava mais ainda pressionando meu pau com seus seios, mas meu pau todo babadinho deslizava por entre seus peitos durinhos, só parava quando a cabeça do meu pau estocava seu queixo, ela começou a abrir a boca passando a língua na cabeça do meu pau, toda vez que eu enfiava o meu pau ela passava a língua, estava um tesão intenso, não resistir e anunciei meu gozo, ela só repondeu:
Camila – me dá leitinho na boca me dá?
Acelerei as metidas em quanto ela apertava ainda mais os seios, deixando meu pau pulsando muito sangue, logo meu pau bombeou meu esperma, espirrando tudo em sua boca que estava abertinha esperando minha porra, ela acabou engolindo, escorrendo um pouco em seus peitos, gemi como louco nessa gozada. Eufórico e ofegante comecei a chupar seu mamilo depois fui descendo levantando a sua sainha e enxergando uma calcinha minúscula que só cobria sua rachadinha e deixava o resto da sua bucetinha exposta, apesar disso eu conseguia ver sua rachadinha através da calcinha de renda fininha, com sua buceta toda raspadinha, sua calcinha se completava com um fio que ia da buceta passando pelo seu cuzinho, era um fio tão pequeno que não escondia nem o seu cuzinho, afastei a calcinha de lado e comecei a sessão de chupadas em sua bucetinha lisinha deixando ela ainda mais molhada do que já estava, pincelando sua buceta de baixo pra cima, abrindo seus lábios vaginais com minha língua, metendo minha língua em seu orifício vaginal e lubrificando tremendo minha língua dentro dela, ela soltava cada vez mais gemidos mais loucos e desesperados, contorcendo seu corpo não se aguentando ela inclinava seu corpo todo como se estivesse possuída, em quanto com uma das mãos apertava seu seio esquerdo com a outra apertava minha cabeça contra a xota dela, eu intensifiquei minhas chupadas no seu grelinho em quanto metia 2 dedos em sua buceta se seguindo pra 3, com a outra mão apertava seu seio direito, a cada estocada dos meus 3 dedos e uma sugada em seu grelinho, ela soltava um grito e impulsionava seu corpo contra minha boca, como se esfregasse sua buceta na minha boca, só ouvi seu marido soltar gemidos gozando e dizer:
Marido – cara eu nunca a vi desse jeito;
E logo ele se aproximou e começou a passar as mãos nos seios dela, ela apanhou o seu pau e começou a chupar sugando sua porra como havia feito comigo, ela tentava chupá-lo mas as gemidas das sensações que eu causava chupando sua bucetinha e penetrando os dedos nela, tornava essa tarefa quase que impossível, em fim estávamos nós dois ali dando prazer a ela, mas logo ele sentou de novo esperando seu pau subir novamente, em quanto assistia ela anunciar que estava gozando, e realmente gozou em minha boca, me lambuzando toda minha boca, era quentinha, não queria desapontá-la nisso então também tomei todo seu melzinho, a essa altura meu pau já havia retomado força e ereção, então mirei e soquei fundo meu pau na sua bucetinha fazendo com que ela soltasse mais um gemido tremulo me apertando com suas pernas, bombei forte em sua buceta naquele papai e mamãe em quanto acariciava e apertava seus seios, depois ela virou seu corpo sobre o meu, e ficou sentando cavalgando no meu pau, por conta da saia por cima, eu só conseguia sentir sua buceta deslizando e espremendo meu pau, eu só olhava pra sua cara de safada transtornada gritando de prazer no meu pau, dizendo como meu pau era gostoso e perguntando se seu marido estava gostando de olhar ela cavalgando outro macho, ele respondeu que sim que estava satisfeito vendo ela se divertir daquele jeito, fiquei por cima dela fodendo ela na posição de frango assado, suas pernas me prendendo na cintura em quanto eu socava meu pau na buceta dela toda arreganhada facilitando meu pau arregaçá-la ate o fundo da sua vagina, depois ela virou ficando de 4, e pedindo pra eu foder ela com força, foi o que fiz, agarrei sua cintura e meti sem dó, em quanto puxava ela pela cintura pra entrar mais dentro dela, seus gemidos de desespero e tesão foram abafados quando seu marido outra vez colou ela pra mamar o pau dele, eu batia em sua raba, e tentava puxar seu cabelo sem sucesso por conta do tamanho que era curto, então agarrei o pescoço dela e gritei:
Eu – toma vadia, hoje você é minha putinha, vou arregaçar você;
O marido dela olhou pra ela e depois olhou pra mim, acho que ele ia falar algo, mas ela disse:
Camila – isso adoro que me façam de putinha, me come gostoso vai;
Então continuei chamando ela de putinha, vadia, cachorra e vários nomes obscenos em quanto metia bombando forte na sua buceta, não sei como ela fez aquilo mas ela entortou o corpo todo pra trazer a cabeça pra traz e me pediu pra puxar o cabelo dela, agora eu consegui por meus dedos por entre seus cabelos e segurar forte e bombei mais forte ainda, fazendo ela dar mais um grito de prazer, em quanto seu marido batia uma na frente dela, ela não resistiu e gozou no meu pau deixando ele encharcado do seu mel, eu só ouvia seus gritos:
Camila – ahhhhh, isso, isso safado, mete, mete gostoso vai, bate, bate na minha raba, puxa meu cabelo e me chama de sua putinha, aiiiiiiiiiiiiii, vou gozarrrrrrrrrr, ki deliciiiiiiiiiiaaaaaaa…
Ela estava sem ar, transpirando forte mandou seu marido deitar, se levantou e ficou por cima dele, encaixando sua buceta em seu pau e ficou rebolando, em quanto eu olhava ela me chamou dizendo:
Camila – vem, não quer comer meu cuzinho?
Não acreditei, ela queria ser penetrada ao mesmo tempo, que sorte logo no meu primeiro ménage, encaixei atraz dela, ela pegou meu pau foi empurrando a cabeça no seu cuzinho, nós dois gemendo, ela por sentir meu pau se impor e arregaçar seu cuzinho, e eu por sentir seu cu apertando meu pau, assim que entrou, comecei a me mexer metendo no seu cuzinho, ela não conseguia se mexer então seu marido estocava ela por baixo em sua buceta, nós 2 metendo nela.
Eu – isso vagaba, aguenta seus dois machos;
Camila – aiiiii, aiiii, quero maissss, vaiiii, mete vaiiii… delicia…
Quando eu estava quase gozando o marido dela gozou antes de mim e acabamos parando pra ele sair debaixo dela, ela me diz:
Camila – nossa você não vai gozar não já estou toda ardidinha seu gostoso?
Eu – já vou gozar fica de brussos e fecha as pernas;
Camila – isso safado, manda que eu obedeço;
Eu – e então fica logo na posição que eu mandei sua puta;
Ela ficou de bruços abrindo sua bundinha e olhando pra mim, fiquei por cima segurei meu pau e baixei de vez socando no seu cuzinho com tudo, ate parar na sua bunda, ela soltou um grito enorme, e gemia cada vez mais, a cada metida, socando meu pau no seu cuzinho, vi quando seu marido saiu do banheiro e fez uma cara de abismado com o que estava acontecendo, ela só pedia por mais, em quanto tocava em sua buceta, até que ela tremeu seu corpo gozando novamente e eu também gozei esporrando todo seu cuzinho, ai retirar meu pau, veio com um pouco de sangue, pedi desculpas por ter exagerado, ela falou que tinha amado ter sido comida daquele jeito sem pena, sem dó…
Quando saiamos do quarto pra ir a garagem do motel percebi ela andar meia dolorida, ate quando a encontrei na rua 2 dias seguintes ela ainda estava assim, varias vezes fui na casa dela comer ela quando o marido não estava, ela ligava pra ele poder ouvir eu comendo ela.
Vlw pessoal…